Publicado 20 de Fevereiro de 2014 - 5h00

Por Da Agência Anhanguera

Unidade do Centro Boldrini em Barão Geraldo, em Campinas

Cedoc/RAC

Unidade do Centro Boldrini em Barão Geraldo, em Campinas

“Coloque esta ideia no pé” é o tema da nova campanha do Centro Boldrini, que destinará 25% da venda de sandálias para a instituição. A paciente B. S., o jogador Amoroso, os empresários Eduardo Porto, Renata e Kelma Negrão, Ana Paula Susanna e Luciana Barros, a estilista Renata Tenca, o apresentador Gustavo Frison e Silvia Brandalise foram clicados pelo fotógrafo Paulo Renato Muy para a campanha, que será lançada nesta quinta-feira (19), em Campinas.

 

Os recursos da campanha serão aplicados pelo hospital na construção do Centro de Engenharia Molecular e Celular, orçado em R$ 8 milhões. Cartazes e banners foram elaborados para a campanha, que será veiculada através das redes sociais e veículos de imprensa. Cada par de sandálias custará R$ 39,90.

 

Venda

 

A venda será pelo site www.fastpe.com.br. Confeccionadas exclusivamente para o Boldrini, as sandálias Ecofeet têm solado 100% de borracha, com formato que deixa o calcanhar mais alto e frente mais baixa, seguindo tendência de mercado. O solado recebeu uma impressão digital com alta definição e resolução de imagens e cores. Segundo o empresário Marcelo Sleiman, responsável pelo projeto, “trata-se de um produto de primeira linha, confortável, inspirado na moda praia. As tiras são feitas em PVC, que se encaixam ao peito do pé de forma anatômica, aumentando a sensação de conforto e segurança ao caminhar”.

 

Maior hospital da América Latina no atendimento a portadores de doenças oncohematológicas, o Centro Infantil Boldrini há 36 anos trata crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Atualmente, o Boldrini atende cerca de 7 mil pacientes, a maioria (80%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos centros mais avançados do País, o Boldrini reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento clínico especializado, com índice de cura de 70% a 80% em alguns tipos de câncer — comparáveis ao Primeiro Mundo —, disponibilidade de leitos e atendimento humanitário às crianças portadoras dessas doenças. 

Veja também

Escrito por:

Da Agência Anhanguera