Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 5h00

Por Marcos Inhauser

ig-Inhauser

AAN

ig-Inhauser

Ela se especializou em pesquisar e trazer à luz a participação das mulheres na vida da igreja. Ela já pesquisou e publicou Uma voz calada pela inquisição, Uma voz feminina na Reforma e agora lança Vozes femininas no início do Protestantismo Brasileiro. Em todos estes trabalhos, fruto de anos de dedicação, ela apresenta uma faceta proposital ou inconscientemente esquecida pelos historiadores: o papel da mulher. Talvez isto se explique pelo fato de que, até bem pouco tempo, a história da igreja era contada por homens. Felizmente há mulheres dedicadas, estudiosas e com habilidades acadêmicas para “ressuscitar a estas mulheres”.

 

A Rute Salviano Almeida é casada, tem três filhos, é membro da Igreja Batista do Cambuí, em Campinas. Foi professora da Faculdade Teológica Batista de Campinas por quase 20 anos. É licenciada em Estudos Sociais, bacharel em Teologia (especialização em Educação Cristã), mestre em Teologia (concentração em História Eclesiástica) e pós-graduada em História do Cristianismo pela Unimpe. Foi redatora das revistas Celebrando o centenário e Celebrando o passado, desafiados pelo futuro. Tem poesias publicadas em coletâneas da Editora Litteris.

 

O livro Vozes femininas no início do Protestantismo Brasileiro apresenta as pioneiras evangélicas que se dedicaram de corpo e alma para a evangelização do Brasil. Elas enfrentaram a morte de filhos e esposos, conviveram com epidemias e inundações e sofreram com graves doenças. Sem perder o ânimo, evangelizaram, visitaram, pregaram, ensinaram, escreveram, compuseram letras e músicas, pesquisaram a nossa história e foram dedicadas esposas e mães que transmitiram aos filhos os ensinos do evangelho.

 

O contexto é o da época do reinado de D. Pedro II, a escravidão e os abolicionistas que são enfocados, assim como o papel feminino e as primeiras vozes que se ergueram na educação e literatura.

 

O mais edificante é conhecer melhor as bravas mulheres que se comprometeram integralmente na formação de cidadãos da pátria, para que o Brasil se tornasse um País melhor. Ao ler as biografias das primeiras missionárias estrangeiras, como Sarah Kalley, Martha Watts, Carlota Kemper e Ana Bagby, como também ao conhecer as vidas das missionárias brasileiras enviadas ao sertão e aos indígenas, das esposas dos missionários pioneiros, das líderes femininas, das escritoras, das musicistas e poetisas, percebe-se com emoção que cada uma, à sua maneira, contribuiu para o desenvolvimento do cristianismo no Brasil.

 

Mais que aumentar o conhecimento sobre o protestantismo brasileiro, esse livro leva o cristão brasileiro a se orgulhar de mulheres que aqui viveram e que fizeram parte do reino de Deus e desafia ao comprometimento com a divulgação do evangelho.

 

Quando se constata que 67% das membresias e frequência da igrejas são compostas por mulheres, a investigação e produção da Professora Rute é de suma importância para a valorização da mulher quem, na história da Igreja, sempre foi presença constante e majoritária, injustificavelmente esquecida pelos historiadores machistas.

 

Uma voz feminina resgatando as vozes femininas da história eclesiástica.

Escrito por:

Marcos Inhauser