Publicado 12 de Fevereiro de 2014 - 19h44

Por Da redação

Com a queda na vazão, pode ter ocorrido concentração de poluentes, matando os peixes

Christiano Diehl Neto/Gazeta de Piracicaba

Com a queda na vazão, pode ter ocorrido concentração de poluentes, matando os peixes

Milhares de peixes apareceram mortos às margens do Rio Piracicaba na tarde desta quarta-feira (12). O rio, que está com a mais baixa vazão em 50 anos, está preocupando moradores da cidade. A cena vista nesta tarde preocupou ainda mais os piracicabanos, que consideram o rio o maior patrimônio da cidade.

 

Piaparas, corimbatás, mandis, piaus, jurupecens, corvinas, cascudos e dourados eram a maioria das espécies mortas. Os peixes ficaram concentrados em um porto de areia, exposto pela estiagem, na altura no número 2000 da avenida Cruzeiro do Sul. Em pouco tempo, dezenas de pessoas foram até o local para ver o desastre.

 

Com a queda na vazão, pode ter ocorrido concentração de poluentes, matando os peixes

 

Adilson Scarpelin, que mora há dez anos na Cruzeiro do Sul, bem em frente ao local, disse que essa foi a primeira vez que viu aquela quantidade de peixes mortos. “Já vi peixes mortos descerem o rio, mas uma quantidade dessas, parada, assim, nunca vi”, conta. A Cetesb fez coleta de material no local para análise.

 

O prefeito Gabriel Ferrato solicitou à Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) a limpeza das margens do Piracicaba. A Sedema acionou a empresa Ambiental, que disponibilizou um caminhão e três homens para realizar o serviço, que teve início nesta quarta-feira, às 19h, em trecho que fica na direção do Hipermercado Carrefour. Os peixes mortos serão descartados no aterro sanitário, segundo informações da prefeitura. 

 

Escrito por:

Da redação