Publicado 04 de Fevereiro de 2014 - 21h38

Por Moara Semeghini

Homem se molha na praça Carlos Gomes, em Campinas: calor escaldante

Leandro Ferreira/AAN

Homem se molha na praça Carlos Gomes, em Campinas: calor escaldante

Campinas bateu novo recorde e registrou o dia mais quente do ano nesta terça-feira (4) com a temperatura máxima de 36,5°C às 16h20, segundo Centro de Pesquisa Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Unicamp.

Às 16h, os termômetros já marcavam a mesma temperatura máxima do recorde anterior, com 36,1°C – mesma do último domingo (2), até então o dia mais quente do ano, segundo dados do Cepagri.

IAC

O mês de fevereiro começou com recorde de temperaturas mínima e máxima em Campinas. Desde 1956, quando o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, iniciou as medições, a cidade não vivia dias tão quentes. Nesta terça-feira, o termômetro do IAC marcou 35,6º. O recorde anterior foi registrado no último sábado, 1º, quando os termômetros registraram uma temperatura máxima de 35,3ºC. Antes disso, a máxima mais alta registrada em fevereiro foi em 1956, quando a temperatura chegou a 35,2ºC. Com os termômetros marcando 24,2ºC, a madrugada da última segunda-feira, 3, foi a mais quente dos últimos 15 anos. O recorde de mínima anterior havia sido registrado em 1999, quando os termômetros atingiram 18,6ºC. O termômetro do IAC está instalado no Centro Experimental do instituto, que fica na Fazenda Santa Elisa, no bairro Vila Nova.

Esta também poderá ser a semana mais quente do ano em Campinas, com a média das temperaturas máximas podendo chegar a 35°C, segundo informações da diretora do Cepagri, Ana Maria Ávila. De acordo com ela, isso está relacionado ao acúmulo de semanas com temperaturas elevadas.

A temperatura mais alta do dia sempre é registrada às 17h. De acordo com a diretora do Cepagri, a meteorologista Ana Maria Ávila, apesar do horário de maior intensidade do Sol ser por volta das 13h (no Horário de Verão). Ela explica que a radiação solar máxima ocorre neste horário e o solo é aquecido por horas, por isso, no fim da tarde o calor é tão intenso.

Estado de alerta

A Defesa Civil decretou estado de alerta em Campinas devido ao tempo seco. A umidade do ar na cidade chegou a 19,4%, às 14h25, segundo a estação meteorológica do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Depois, abaixou ainda mais e chegou aos 18,1%, às 16h40, sendo mantido o estado de alerta.

O diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado, ressaltou a população deve ter cuidados redobrados com neste caso, principalmente: evitar a exposição solar entre às 10h e 17h, umidificar ambientes e não provocar queimadas.

Cuidados

Nestes dias de sol forte e calor intenso, os cuidados com a hidratação devem ser redobrados, principalmente para os idosos. Segundo o diretor da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Salo Bucksmann, os casos de desidratação aumentam mais de 50% nesta época do ano e é preciso ficar atento aos principais sintomas, que são tonteira, dor de cabeça, boca seca e diarreia.

Com informações de Fabiana Marchezi

 

Veja também

Escrito por:

Moara Semeghini