Publicado 03 de Março de 2014 - 5h00

Por Marita Siqueira

Martinho da Vila, o compositor e escritor da Vila Isabel

Divulgação

Martinho da Vila, o compositor e escritor da Vila Isabel

Cidadão carioca criado na Serra dos Pretos Forros, Martinho da Vila, com toda simplicidade e elegância, presenteia a música brasileira com um registro dos grandes sambas-enredo que compôs. O CD 'Enredo' (Biscoito Fino, preço médio R$ 26,90) traz desde 'Carlos Gomes', de 1957, samba feito em homenagem ao maestro campineiro para a extinta escola de samba Aprendizes da Boca do Mato, até o atual campeão do Carnaval na Sapucaí, 'A Vila Canta o Brasil, Celeiro do Mundo, Água no Feijão que Chegou mais Um', composto em parceria com Arlindo Cruz, André Diniz, Leonel e Tunico da Vila para Vila Isabel, escola da qual é presidente de honra.

 

Constam no projeto 24 composições distribuídas em 14 faixas. Entre elas estão 'Onde o Brasil Aprendeu a Liberdade' (Vila Isabel, 1972), com participação de Beth Carvalho — ela diz a Martinho antes de cantar que considera este o samba mais bonito que ele fez —, 'Pra Tudo se Acabar na Quarta-Feira' (Vila Isabel, 1984) e as belíssimas 'Noel - A Presença do Poeta' (Vila Isabel, 2010) e 'Machado de Assis' (Boca do Mato, 1960). Alguns vitoriosos, outros não; porém, todos com a mesma grandeza. 

 

A ideia de Martinho era fazer “um registro simples, só com violão, cavaquinho e percussão”. Mas as faixas ganharam forma nas mãos dos arranjadores Rildo Hora, Leonardo Bruno, Ivan Paulo, Wanderson Martins e Maíra Freitas (filha dele), e a proposta transformou-se em uma quase autobiografia musical, contemplando os 76 anos do artista. Para a obra, então, Martinho convidou artistas do primeiro escalão, ou como ele diz, “minha prole profissional da música”. Maíra Freitas, Trinca Própria (Mart’nalia, Analimar e Martinho Tonho), Juju Ferrirah e Samba do Barão (Marcelo Moraes, PC Correa, Beto Timbó, Hugo Batera, Luciano Bom Cabelo), Tuco da Vila e Alcione fazem participações especiais, além da citada Beth Carvalho.

 

Os enredos mostram Martinho cativado por vários assuntos. Fala da Vila e do Carnaval com a mesma contemplação com que desenvolve temas sobre as manifestações afroculturais e tribais (como em 'Tribo de Carajás, Iemanjá, desperta!' e 'Yayá do Cais Dourado'), rituais e tradições (em 'IV Séculos de Modas e Costumes'), princípio de liberdade e de socialismo (em 'Por Ti América' ressalta o revolucionário Simon Bolívar).

O encarte do disco reúne todas as letras dos sambas-enredo e a capa é uma bela obra em preto e dourado do artista plástico Elifas Andreato, o preferido de Martinho. Após o Carnaval, será lançado ainda um boxe com o DVD do projeto, com as imagens das gravações em estúdio enriquecidas com recursos de animação, e um livro que conta a história de cada enredo que o compõe.

Escrito por:

Marita Siqueira