Publicado 20 de Fevereiro de 2014 - 23h19

Por Carlo Carcani

O jornalista Carlo Carcani Filho

Ércia Dezonne/AAN

O jornalista Carlo Carcani Filho

Há alguns anos que o futebol campineiro tem a possibilidade de contar com três times no Paulistão. Isso ainda não aconteceu porque o Red Bull anda batendo na trave em sua busca pelo acesso, sem falar nas visitas de inadmissível frequência do Guarani à Série A2.

Ainda tem muito campeonato (11 rodadas) pela frente e em uma competição tão equilibrada, com apenas sete pontos separando o líder do 10º colocado, tudo pode mudar muito rapidamente. Mas dá para afirmar, no momento, que são boas as chances de a cidade ter três representantes no Paulistão de 2015, o que seria interessantíssimo.

O Red Bull é o único invicto da Série A2 e um dos candidatos ao título. A defesa é consistente e conta com a experiência de Fabiano Eller, campeão mundial pelo Inter. O meio de campo conta com Andrade, ex-Vasco. Sua experiência dá equilíbrio ao setor, além de ser uma ótima opção para cobranças de falta. Na frente, Henan, o maior artilheiro da história do clube, cumpre bem o seu papel, com gols e assistências.

E a diretoria não se acomodou com a boa largada. Nessa semana, anunciou a contratação de Dinélson, meia formado no Guarani e que recentemente esteve nos planos da Ponte Preta. E também trouxe Pipico, atacante que disputou a Série B do ano passado pelo Atlético-GO e que estava no XV de Piracicaba. Dinélson, outro que já vestiu a camisa de um time grande, caso do Corinthians, vai dar mais qualidade ao setor de criação. Pipico talvez não seja um titular absoluto, mas passa a ser mais uma opção para o técnico Maurício Barbieri. O Toro Loko largou bem e trabalha para manter esse ritmo até o final.

O Guarani não parece ser um candidato ao título da A2. Mas em competições de acesso, o “título” é apenas uma cereja. O que importa, mesmo, é subir. E para isso o Guarani precisa terminar entre os quatro melhores. Nas oito primeiras rodadas, o time de Márcio Fernandes ainda não conseguiu figurar no G4. Mas dá sinais que está próximo disso.

A contratação de Jorge Luiz foi excelente. Desde sua estreia, o rendimento da defesa melhorou muito. Experiente e tranquilo, ele dá segurança ao setor defensivo. Ao seu lado, Gustavo Bastos adquiriu confiança e começou a marcar gols. A lesão do goleiro Douglas é um problema que deve ser avaliado com muita atenção. O reserva Léo tem um histórico irregular no clube, falhou no gol da Ferroviária e precisa de atuações convincentes nas próximas rodadas para não afetar a estabilidade do setor.

Do meio pra frente, o destaque é Fumagalli. O mais experiente do elenco esteve em campo durante os 90 minutos das oito partidas e participa de vários gols do time. Se Fabinho acompanhá-lo e um dos centroavantes se firmar como titular, dérbi é o que não vai faltar em Campinas em 2015.

Escrito por:

Carlo Carcani