Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 9h03

Por Da redação

Agência enviou 23 pedidos à central do banco para que providência fosse tomada

Reprodução/Google Maps

Agência enviou 23 pedidos à central do banco para que providência fosse tomada

O Banco do Brasil foi autuado por colocar a saúde dos trabalhadores em risco na agência da avenida Doutor Edgard Conceição, no bairro Paulista, em Piracicaba. O auto de infração foi entregue na manhã de terça-feira (18), na sede do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest).

O banco recebeu o auto de infração n 823, após vistoria realizada na agência pelo engenheiro Adilson Novello - como membro da equipe de Vigilância Sanitária, no dia 13 de fevereiro.

Segundo o auto, verificou-se durante a inspeção variação na temperatura nos postos de trabalho contradizendo a Norma Regulamentadora 17, aprovada pela Portaria 3.214/78 e a Resolução - RE nº9, de 16 de janeiro de 2003, colocando a saúde dos trabalhadores em risco.

Ainda segundo o auto de infração, fica concedido o prazo de dez dias ao banco para defesa ou impugnação do auto para, posteriormente, o estabelecimento regularizar o local de trabalho sujeito à multa, caso não atenda a solicitação.

"Nossa intenção não é punir, mas resolver o problema. A variação de temperatura registrada na agência fere as condições de trabalho dos bancários e de atendimento aos clientes, por isso deve ser regularizado", afirmou a coordenadora do Cerest, Clarice Bragantini.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região (Sindban), José Antonio Fernandes Paiva, salientou durante a entrega da autuação que o gerente da agência enviou 23 pedidos ao banco para que providenciassem o conserto ou a troca dos aparelhos de ar-condicionado.

"O gerente nos mostrou os e-mails encaminhados. O Banco respondia que o problema seria resolvido, o técnico arrumava o aparelho, porém no outro dia o aparelho novamente quebrava. Conversamos com um técnico que esteve na agência e o mesmo informou que os aparelhos já estão velhos demais e não comportam mais a necessidade da agência e que a informação foi repassada ao Banco do Brasil. O que é inadmissível é que um Banco que lucrou mais de R$ 15 bilhões em 2013 não ofereça condições dignas de trabalho aos seus funcionários", disse Paiva.

Vistoria

A temperatura mínima registrada na agência durante a vistoria foi de 24ºC na mesa da gerência, localizada próxima ao aparelho de ar condicionado.

Porém, foi registrada na mesma agência, no local de atendimento aos clientes, uma temperatura de 31,9ºC, ou seja, 34% a mais que o permitido, ou 8,9ºC acima do permitido por lei.

A umidade do ar também ficou abaixo da permitida em algumas mesas da agência, segundo a NR 17. A média foi de 35% a 42,8%.

O Sindban lançou a Campanha "Sem ar não tem clima para trabalhar" no dia 7 de fevereiro, em Piracicaba, após denúncias que bancários e clientes sobre a falta de manutenção dos aparelhos de ar condicionado em várias agências da cidade.

Uma equipe do Sindicato foi aos bancos e fechou três delas (duas do BBB e outra do Banco Itaú), por falta de condições de trabalho.

Veja também

Escrito por:

Da redação