Publicado 28 de Fevereiro de 2014 - 19h22

Devido à falta de nuvens, o céu fica mais aberto, há mais radiação solar e, por isso, aumento da temperatura e da sensação de calor

Divulgação

Devido à falta de nuvens, o céu fica mais aberto, há mais radiação solar e, por isso, aumento da temperatura e da sensação de calor

O Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), confirmou o mês de fevereiro como o mais quente desde 1989, quando as medições do instituto começaram. A média das temperaturas máximas foi de 34,3ºC e bateu o recorde anterior de janeiro de 2014, de 33,4ºC. Historicamente, a média das máximas em fevereiro é de 30ºC, segundo a meteorologista e presidente do centro, Ana Ávila.

A média das temperaturas mínimas, de 20,8º, também ficou ligeiramente acima do normal para o mês, que é de 19,9º. A máxima registrada em dois dias de fevereiro foi de 37ºC, e foram os mais quentes do ano, segundo o centro de pesquisas. A falta de chuvas no mês foi o maior motivo para o aumento exagerado da temperatura, causado pela radiação solar intensa. O total de chuva acumulada no mês foi de 10,4 milímetros. Até então, fevereiro de 2005 tinha sido o mais seco, com 58 milímetros.

 

Mais seco

O índice pluviométrico registrado em todo o mês é comparável com o volume esperado para um dia neste época do ano. Além disso, a diretora explicou que o volume de fevereiro é o menor desde 1989, se comparado com o mesmo período desses anos. Comparado a outubro, que tem média de chuva de 22 milímetros é o considerado o mais seco do ano, fevereiro de 2014 ainda fica para trás.

"Foi um fato anômalo, que ocorreu pelo bloqueio atmosférico causado por uma massa de ar quente que se estabeleceu em todo o Sudeste do País. Tivemos dias muito ensolarados sem uma trégua da chuva, que contribuíram para as temperaturas elevadas", explicou Ana.

Condições normais

 

Ainda de acordo com ela, as condições meteorológicas já se normalizaram e março deve ter temperatura mais típica para o período. As chuvas, porém, tendem a diminuir até o outono. "Temos ainda alguns dias de Verão, mas a tendência é uma redução gradual do volume de chuvas. Mas não conseguimos dizer se o resto do mês será seco como no começo do ano. E também é difícil fazer previsões para o resto do ano", disse Ana.

Neste sábado de Carnaval (1º), o tempo continuará instável como ontem, com o céu variando entre parcialmente nublado e nublado com pancadas de chuva. A temperatura máxima será de 27ºC e a mínima de 18ºC. O nível de Ultra Violeta máximo pode chegar a 14 durante o período entre 10h e 15h.

 

Amanhã, retornam as condições de sol, entretanto, não é totalmente descartada a possibilidade de chuvas rápidas e isoladas à tarde. Máxima de 30ºC e mínima de 19ºC. A segunda-feira será ensolarada, mas há possibilidade de pancadas de chuva. Já a terça-feira terá um pouco mais de nebulosidade, segundo o Cepagri.