Publicado 20 de Fevereiro de 2014 - 20h51

Por Da redação

O americano, que vive no Brasil há 50 anos, é fundador de mais de dez entidades filantrópicas, grupos e movimentos de religiosidade

Divulgação

O americano, que vive no Brasil há 50 anos, é fundador de mais de dez entidades filantrópicas, grupos e movimentos de religiosidade

O padre jesuíta Haroldo Rahm comemora neste sábado (22) 95 anos de vida. O americano, que vive no Brasil há 50 anos, é fundador do instituto homônimo de Campinas, que trata de dependentes químicos e de reinserção social. A entidade é beneficente e já atendeu mais de 70 mil pessoas em 36 anos de atividades. Atualmente atende cerca de 800 pessoas por dia.

Também é fundador de mais de dez entidades filantrópicas, grupos e movimentos de religiosidade, que têm como objetivo comum difundir o amor, a educação, a prevenção, tratamento da dependência química e a inserção social, bem como vivências de espiritualidade católica e ecumênica.

Haroldo chegou ao Brasil em 1964 para ser missionário. Nos anos 70, fundou o primeiro grupo do Narcóticos Anônimos (NA) de Campinas e o primeiro grupo do Núcleo de Apoio para Toxicômanos e Alcoólatras (Nata) do Brasil.

Em 1978, criou a Associação Promocional Oração e Trabalho (APOT), uma das primeiras Comunidades Terapêuticas do Brasil. Reconhecida em Nova York, durante a 23ª Conferência da WFTC (World Federation of Therapeutic Communities) como uma das três melhores Comunidades Terapêuticas do Mundo, a associação recebeu, em 2006, o Prêmio Harry Scholl Award. Posteriormente, tornou-se o Instituto Padre Haroldo.

Em 1983, inaugurou o Amor-Exigente, programa que desenvolve preceitos para a organização da família, e que se baseia na prática de 12 princípios básicos éticos. Por meio de mais de mais de 11 mil voluntários, sensibiliza as pessoas quanto à necessidade de mudança em suas vidas e no mundo, a partir de si mesmas. Atualmente, o movimento realiza cerca de 100 mil atendimentos por mês, por meio de reuniões, cursos e palestras. São mais de 800 grupos no Brasil, três na Argentina e 14 no Uruguai.

Em 1990, junto com o Professor Saulo Montserrat, Haroldo fundou a Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas ( Febract), que ministra cursos de conhecimento técnico a equipes de trabalho das comunidades terapêuticas e a pessoas que trabalham com programas de prevenção ao uso de drogas, entre escolas, órgãos públicos governamentais, associações religiosas e grupos de mútua ajuda, entre outros.

É responsável, também, pela fundação do Centro Kennedy: centro profissionalizante que já propiciou condições para milhares de pessoas mudarem suas vidas através da certificação profissional; pelo do início da Renovação Carismática Católica no Brasil, junto com Padre Eduardo Dougherty; pelos cursos de Sadhana, com uma equipe de leigos e pelos cursos de Relaxamento e Yoga Cristã, entre outros.

Em sua trajetória, também fundou duas paróquias nos EUA e três em Campinas (Igreja de São Pedro Apóstolo, Igreja Nossa Senhora de Pompéia e São José Operário).

Em 2001, encabeçou a campanha da fraternidade 2001 “Vida sim, drogas não”, a fundação da Pastoral da Sobriedade da Igreja Católica e o movimento ecumênico para prevenção ao uso de drogas “Fé na Prevenção”, que foi transformado em um livro editado pela Secretaria Nacional para Políticas sobre Drogas (Senad).

O Instituto

Em parceria com a Fundação FEAC, está sediado em um terreno em comodato, cujos prédios foram construídos por empresários e voluntários. Na época de sua fundação, em 1978, a entidade atuava na recuperação de homens com transtornos decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas psicoativas.

O trabalho começou na Fazenda do Senhor Jesus, onde hoje é a Comunidade Terapêutica Homens Adultos, e foi o precursor do programa Despertar para a Vida, que atualmente também presta atendimento a mulheres. O programa também atende, dentro da Clínica Padre Haroldo, em regime de ambulatório, a pessoas e grupos interessados em atendimento psicológico. Passam mensalmente pelos serviços deste Programa cerca de 180 pessoas e suas famílias.

Em 1989, deu início ao programa Meninos de Rua, precursor do que é hoje o programa Além da Rua, que atua em parceria com a Prefeitura de Campinas. O projeto possui casas de acolhimento institucional para adolescentes e adultos em situação de rua e risco pessoal e social.

O mais novo serviço deste Programa é o Circolando, que desenvolve educação social em bairros de alta vulnerabilidade com uma equipe de educadores, psicólogos e assistentes sociais. O programa atende mais de 180 indivíduos e suas famílias.

Em 1995, o Instituto criou o programa Aprender Mais, que desenvolve atividades de Prevenção e Iniciação Profissional , oferecendo oficinas socioeducativas e cursos de iniciação profissional a 180 crianças, adolescentes, jovens e seus familiares.

Hoje, desenvolve trabalhos relacionados aos cuidados com a saúde, educação, arte, esportes, inserção social e no mercado de trabalho, além de oportunidades de vivências de espiritualidade para todas as faixas etárias. Com o lema “Amar e servir promovendo a vida” com alegria, busca envolver a família em seus trabalhos de educação, prevenção, recuperação e acolhimento de pessoas em situações de sofrimento.

Veja também

 

Escrito por:

Da redação