Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 8h02

Prédio que abrigará a seccional da Polícia Civil no Jardim Londres: ainda falta instalar equipamentos

Leandro Ferreira/AAN

Prédio que abrigará a seccional da Polícia Civil no Jardim Londres: ainda falta instalar equipamentos

A inauguração da segunda Delegacia Seccional de Campinas — prevista no início do ano para ser entregue parcialmente em janeiro e entrar em funcionamento em março — depende da instalação de móveis, equipamentos e sistema de telefonia, após o prédio passar por reformas. A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) não informa mais uma previsão para que os trabalhos no local sejam concluídos.

No início do ano, em visita a Campinas, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) prometeu que voltaria até o final de janeiro para inaugurar ao menos uma parte da nova delegacia, localizada no Jardim Londres. O prédio foi alugado e adaptado para receber a polícia. A abertura parcial, porém, não ocorreu.

Segundo interlocutores do governo, o tucano e o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), se falaram após a mudança dos planos. A implantação de uma nova seccional na cidade é uma promessa antiga do governo do Estado — dura pelo menos dois anos. A viabilização desse projeto deverá ser usada como bandeira na campanha à reeleição de Alckmin na região. Por isso, desde o ano passado, o governo tenta dar agilidade no projeto. Em 2013, o tucano já havia prometido que a nova sede seria inaugurada em dezembro.

Por meio de assessoria, o delegado titular do Departamento da Polícia Judiciária do Interior (Deinter) em Campinas, Licurgo Costa, informou que os equipamentos que faltam pertencem aos setores administrativos e ao plantão 24 horas que funcionarão no local, mas evitou estimar quanto tempo deverá levar a instalção.

O secretário de Infraestrutura de Campinas, Carlos Augusto Santoro, acompanhou as reformas no prédio, mas diz também que não sabe estimar quando o prédio será entregue, já que o investimento é exclusivo do Estado. “O fato é que compraram móveis e terminaram até o jardim”, disse.

Em visita a Limeira no final de janeiro, o governador justificou o atraso na entrega com a dificuldade em encontrar prédio em Campinas para receber a delegacia. A decisão de locar um imóvel foi tomada após várias tentativas frustradas de definir um terreno para construir o prédio. As doações das áreas pela Prefeitura ao Estado foram barradas por restrições ambientais.

A nova seccional está instalada paralela à Avenida John Boyd Dunlop, possui 1,6 mil metros quadrados e outros 5 mil metros quadrados para estacionamento. A assinatura de contrato de aluguel do imóvel para a instalação da nova delegacia ocorreu no início de setembro do ano passado. A reforma soma cerca de R$ 200 mil e o aluguel, após a entrega, R$ 60 mil por mês.