Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 7h52

Carnaval será no Amarais, ao lado de aeroporto: preocupação era com a segurança em pousos e decolagens

Leandro Ferreira/AAN

Carnaval será no Amarais, ao lado de aeroporto: preocupação era com a segurança em pousos e decolagens

A Prefeitura de Campinas e o Departamento Aeroviário do Estado (Daesp) finalizaram ontem um plano de segurança para a realização do Carnaval na Avenida Cônego Antônio Rocato, que margeia o aeroporto Campo dos Amarais. A intenção é aumentar a segurança do terminal e impedir que haja qualquer incidente no entorno do sítio aeroportuário, como incursões de pessoas na pista de pouso e decolagem durante o evento, ou o ofuscamento de sinalização aeroviária.

O terminal funcionará normalmente no período noturno, quando ocorrem os desfiles. Entre as ações durante o evento, estão a contratação de seguranças que reforçarão a área do aeroporto no horário da festa e a proibição do uso de luzes fixas coloridas ou canhão de luz. O acerto foi feito ontem, após uma reunião entre integrantes dos dois órgãos.

Na semana passada o Daesp, que administra o terminal de Campinas, afirmou que estava preocupado com a realização da festa na Estrada dos Amarais, com início perto do aeródromo. A dúvida era quanto à segurança operacional dos pousos e decolagens durante o evento. A distância entre o sítio aeroportuário e a avenida do samba é de apenas cem metros. Preocupado, o departamento encaminhou na última sexta-feira uma série de itens para a Prefeitura se adaptar.

Na reunião de ontem, o diretor de Cultura, Gabriel Rapassi, apresentou e explicou o plano proposto pelo Município. As ações foram aprovadas pelo departamento. Os custos para implantação da medida não foram calculados. O documento será protocolado pela Administração municipal ainda nesta semana. “Três riscos foram apontados como centros de preocupação. Trabalhamos em cima deles e entramos em acordo sobre as medidas que serão tomadas”, afirmou o diretor.

Medidas

Para evitar o risco de incêndio, a Prefeitura começa hoje a roçar todo o mato que margeia as áreas do entorno da Estrada dos Amarais. Além do corte, o material será recolhido e uma faixa de terra será feita para impedir um possível avanço do fogo para a via. “Como haverá uma circulação grande de pessoas, temos que prevenir porque pode acontecer de pessoas jogarem cigarro aceso no mato, que, se estiver seco, vai causar problema”, disse Rapassi. O corte também será feito em toda a área do aeroporto, inclusive ao lado da pista. Dois caminhões-pipa ficarão de prontidão durante todo o período do Carnaval. O evento também contará com 60 brigadistas e três bombeiros.

“Para reduzir o risco de incursões de pista, a Prefeitura vai contratar seguranças que circularão na área do terminal em motocicletas. Serão quatro durante o período da festa, que farão o patrulhamento principalmente na área do alambrado, impedindo qualquer tentativa de invasão. Eles estarão integrados ao sistema de segurança do aeroporto. Além disso, a Guarda Municipal (GM) fará o patrulhamento pelo lado externo”, disse o diretor. Ele informou que também será proibido o estacionamento de veículos ao longo do terminal.

Quanto às luzes usadas durante o Carnaval, alvos de crítica do Daesp, a secretaria afirmou que não serão utilizados canhões de luz, comuns em casas noturnas e shows. “Não usaremos luzes fixas das cores azul, vermelha, verde ou laranja, que podem confundir e atrapalhar pilotos e a orientação aeroviária. As que usaremos serão um reforço das que já existem. Serão luzes como as já utilizadas em vias públicas. Os trios terão luzes coloridas, como LED, mas em movimento, o que não dá interferência”, afirmou Rapassi.

Todas as pessoas que entrarem na área do evento serão revistadas e terão as bolsas olhadas. “Ninguém vai poder entrar com armas, drogas, bebidas em qualquer recipiente, vidros e muito menos canetas de laser. Todos os seguranças (200) serão orientados a recolher qualquer material do tipo. Usaremos também detectores de metal.”

Protesto

O diretor revelou que fez uma reunião com moradores do entorno da Estrada dos Amarais que estavam descontentes com o evento. Na semana passada, eles começaram um abaixo-assinado pedindo o cancelamento do evento no local por causa da transferência de velórios no período da noite no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, às margens da via, para outros locais no período da festa, de 28 de fevereiro a 4 de março. “Eles estavam bravos porque acharam também que íamos parar os carros de festa em frente ao cemitério, estavam descontentes com isso. Mas nunca pensamos em parar no local.”