Publicado 04 de Fevereiro de 2014 - 10h54

Por Bruno Bacchetti

Júlio Sandroni, síndico do Iate Clube, usa máscara contra odor na represa

Gustavo Tilio/Especial para a AAN

Júlio Sandroni, síndico do Iate Clube, usa máscara contra odor na represa

Tradicional ponto turístico de Americana décadas atrás, a represa Salto Grande, na Praia Azul, está em completo estado de abandono, fato que incomoda moradores e frequentadores do local. A situação ficou ainda pior há cerca de 15 dias, quando um odor insuportável de esgoto tomou conta da região. Moradores do Iate Clube de Campinas, condomínio que dá fundo para a represa, encontraram uma saída inusitada e chegam até a usar máscaras para suportar o cheiro.

“De uns 15 dias para cá, apareceu um odor horrível, insuportável, e ninguém está conseguindo conviver com isso. Nas casas em frente à represa, as pessoas estão usando máscaras. A Cetesb, o Departamento de Água e Esgoto (DAE) e a Secretaria de Meio Ambiente só prometem e ninguém faz nada”, afirmou o síndico do Iate Clube de Campinas, Júlio Sandroni.

Segundo ele, a suspeita é que o DAE esteja despejando esgoto na represa durante a madrugada. “A gente suspeita que o DAE abra as comportas e jogue os detritos aqui. Empresas também podem estar contaminando a represa. É esgoto puro que estão jogando” completou Sandroni.

A situação chegou a um ponto insustentável para frequentadores da represa, que exigem uma solução para o mau cheiro e a poluição da represa, que acumula algas provenientes da sujeira. Inconformado com a situação, o empresário Ricardo Paixão, de 31 anos, criou uma comunidade no Facebook intitulada “Vamos Salvar a Represa Salto Grande”. Em poucos dias no ar, a comunidade recebeu a adesão de centenas de usuários da rede social. Frequentador da represa desde a infância, Paixão se movimenta para atrair a atenção do poder público a fim de encontrar uma solução definitiva para o local.

“Os problemas da represa são antigos, mas piorou no início do ano. Está um esgoto a céu aberto, por isso criei a comunidade no Facebook para colocar o problema na mídia. Tem empregados que não estão vindo trabalhar porque não aguenta o cheiro”, reclamou o empresário.

O DAE afirmou não ter nenhuma responsabilidade no cheiro de esgoto que surgiu há alguns dias. A autarquia ainda negou que tenha descartado detritos na represa e alega que a responsabilidade do esgoto no local é do próprio condomínio. “O DAE não descarta esgoto na represa, nossas elevatórias não estão com vazamentos. Não temos reclamações no SAC sobre o assunto em questão. O problema é no Iate de Campinas e o DAE já orientou os responsáveis pelo condomínio sobre o esgoto, pois o condomínio é o responsável pelo esgoto e manutenção do mesmo”, informou o DAE, por meio da assessoria de imprensa.

O síndico do condomínio, no entanto, rebateu a autarquia e disse que todo o esgoto do condomínio é tratado, inclusive com a realização de inspeções e testes periódicos da qualidade da água no local. “Temos tratamento de esgoto e fazemos análise trimestral há anos. Estamos totalmente dentro da especificação normal e temos mais de 90% de grau de pureza na água”, disse Sandroni.

 

Escrito por:

Bruno Bacchetti