Publicado 02 de Março de 2014 - 5h00

Emdec

Armando Madeira

Publicitário, Campinas

 

Vindo pela Rua Luzitana, encontro um engarrafamento gigante, sendo o meu intuito chegar até a Major Solon e acessar a Av. Anchieta. Mais à frente, vejo um amarelinho e várias motos da Emdec. Depois de amargar esse congestionamento, chegando à esquina da Av. Anchieta, vejo o motivo do sofrimento: obras nessa via. Fica a indagação: por que não havia uma sinalização, um amarelinho, avisando os motoristas e desviando o trânsito? Nessa esquina, um amarelinho conduzindo o trânsito, interrompe o tráfego no momento que eu estava na faixa de pedestres. Veio em minha direção e disse, em tom arrogante, que eu precisava prestar atenção e que era um infrator. Esses agentes deveriam ser educados e principalmente orientadores.

 

 

Transporte

Célia Corrêa Vasconcellos de Souza

Servidora pública, Campinas

Me incomoda andar pelas ruas de Campinas e constatar que nossa cidade não tem pontos de ônibus minimamente decentes para atender a população. Existem lugares em que sequer há um toco de madeira que sinalize que algum transporte coletivo passa naquele lugar, isso em plena Avenida Norte-Sul, um dos acessos ao Cambuí. Como os estrangeiros que virão para Campinas na época do Mundial se movimentarão ao pensarem em conhecer a cidade por meio de transporte público? Concordo que o tempo é exíguo para resolver esse problema (...) até o Mundial, mas, não será um bom momento para as autoridades responsáveis pela mobilidade urbana arregaçarem as mangas?

 

Pesquisas

Washington S. Castro

Aposentado, Campinas

Não sei se acontece o mesmo com outras pessoas, mas toda vez que em roda de amigos o assunto é política, há manifestações contrárias ao atual governo. E quando surge a pergunta sobre reeleição, imediatamente todos se mostram contra tal hipótese. Esse quadro também acontece em filas de supermercados, de bancos etc., ou seja, onde quer que surjam conversas sobre a política atual o resultado é sempre o mesmo, isso é, críticas, revoltas. Ante tal situação, como se explicam resultados de pesquisas levadas a público que mostram nossa atual presidente com índices garantindo a ela vitória em primeiro turno? Realmente, parece que nosso povo gosta mesmo de ser enganado!

 

 

Mensalão 1

Alex Tanner

Servidor público, Sumaré

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) absolveu por 6 votos a 5 os mensaleiros (corruptos) de formação de quadrilha. Nessa vergonha nacional, os condenados terão alguns privilégios. Quando criança, na escola, eu dançava quadrilha e tinha uma parte da música que dizia: “Olha a cobra!”, e todos com medo voltavam. Na política deste País, não há como escapar das cobras. Pois é, em época de Carnaval, podemos chamar os (ex) quadrilheiros de o Bloco do Mensalão.

 

Mensalão 2

Tavirio Villaça 

Aposentado, Campinas

Embora a soma dos resultados dos dois julgamentos do STF (6 x 4 e 5 x6) pudesse ser considerada condenatória (11 x 10) dos réus por crime de formação de quadrilha, não é assim que funciona a justiça brasileira. Com isto, mais uma que o povo é obrigado a engolir, e, pior de tudo, esses caras, larápios do dinheiro público, estarão, muito em breve, soltos por aí, rindo na cara de todos nós. E viva o Brasil.

Valores

José Manoel Filho

Aposentado, CampinaS

Não quero aqui nesta coluna ser hipócrita, mas cada vez mais vemos valores, ideais, ficando em segundo plano: Caetano Veloso apoiando protestos com rosto coberto; partidos políticos arrecadando dinheiro (vaquinha) para ajudar políticos corruptos; Roberto Carlos, até então um vegetariano convicto, fazendo propaganda de carne vermelha. Tá difícil...

Mais Médicos

Alberto Alves Marques

Professor e escritor, Hortolândia

Precisamos de mais médicos sim, que sejam do território nacional ou internacional, desde que esses tenham condições dignas de trabalho. De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos em seu art. 4º: “Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas.” E mais, no art. 23º dessa mesma Declaração, da qual o Brasil faz parte, garante que: “Todo homem tem o direito ao trabalho em condições justas de remuneração”. Será que não leram a Declaração Universal dos Direitos Humanos antes da elaboração do Programa Mais Médicos? Acorda Brasil!

 

 

Justiça

Uriel Villas Boas

Advogado, Santos

 

O deputado delator que originou o processo do mensalão finalmente foi para a cadeia. Ele, que é um réu confesso, por que somente agora foi em cana? A demora na tramitação processual no Brasil leva a situações inexplicáveis e ao uso de jogadas como no caso do deputado federal que renunciou ao mandato para que o processo que o envolve, o mensalão mineiro, volte para Minas Gerais. Será que não está na hora de mudar a forma de trabalho na área judiciária? Justiça tardia beneficia certas espécies de crimes, favorecendo os criminosos. E esses dois casos comprovam que isso é uma realidade.

 

 

Maria-fumaça

Conrado Ziggiatti Güth

Engenheiro mecânico, Campinas

Quem sabe dizer o que aconteceu com o projeto turístico de conexão do Parque Portugal com a estação de trem de Jaguariúna, estendendo os trilhos da maria-fumaça? Os pontilhões começaram a ser colocados e depois o projeto foi interrompido. Virou tudo fumaça?