Publicado 02 de Fevereiro de 2014 - 14h28

Fique de olho: começa a 5ª Prova do Líder!

Divulgação / Globo

Fique de olho: começa a 5ª Prova do Líder!

Foto: Divulgação / Tv Globo.

Formando o 7º paredão da casa mais vigiada do Brasil

Formando o 7º paredão da casa mais vigiada do Brasil

É isso pessoal, mais um domingo chegou ao fim, mas claro que ele não pode terminar sem mais um paredão formado na casa mais vigiada do Brasil, não é mesmo?

Dessa vez, os indicados ao fim do sonho são Amanda, Marcelo e Vanessa. Na disputa, Marcelo foi indicado por Vanessa, que atendeu o Big Fone, Vanessa foi a escolha do líder e, no confessionário, a mais votada foi Amanda. Ela recebeu os votos de Junior, Valter, Franciele e Diego, quase todos alegando falta de afinidade ou defesa no paredão.

Imunizados:

Vanessa atendeu o big fone e ganhou o direito de imunuzar alguém da casa. A escolhida foi Clara. Já o anjo Aline deu a imunidade a Valter, declarando ser um presente de aniversário 

Big Fone:

A formação do paredão começou com a revelação do Big Fone. Vanessa, que atendeu o primeiro telefonema surpresa desta edição, indicou Marcelo ao paredão e deu imunidade a Clara. Depois de ouvir a mensagem do telefone, a sister teve de entregar três pulseiras aos participantes: uma para seu indicado ao paredão, outra para quem receberia a imunidade e uma terceira apenas para despistar. Vanessa foi indicada pelo líder Cássio, que já cogitava colocá-la no paredão antes mesmo de vencer a prova de quinta-feira. Para ele, a relação da paulistana com a stripper é oportunista e só existe durante as festas. O líder quer ter a oportunidade de explicar o que considera uma ofensa, já que seu próprio irmão é gay. Apesar de Clara ter intercedido a favor de Vanessa, o gaúcho não mudou seu voto. Nesta semana, os dois tiveram um bate-boca, e a paulistana afirmou que não tinha medo de ser colocada na berlinda.

"Não é uma surpresa para ninguém. Muitas vezes eu já falei aqui. Ela me olha desde o primeiro dia com olhar de desprezo. Lá fora tentou me humilhar me chamando de imbecil e babaca", argumentou o líder.