Publicado 20 de Fevereiro de 2014 - 14h04

Rubão, Guardião do Atibaia, adoece junto com o rio

Rubão, Guardião do Atibaia, adoece junto com o rio

Rubão, Guardião do Atibaia, adoece junto com o rio

 Ver o leito seco do rio foi um golpe muito duro para o barbeiro Rubens Godoy, de 82 anos. Rubão, o Guardião do Atibaia, está fora de combate há uma semana, doente. Na quinta-feira da semana passada ele deu entrada no hospital Mário Gatti. Sentia fraqueza, tontura e diarreia. Feitos os exames, o diagnóstico: virose. Segundo o médico, certamente adquirida nas margens do rio. Segundo Rubão, a tristeza de ver o rio naquela situação baixou sua imunidade.

E o pior: ele está proibido de ir até o rio. O homem que tomava banho frio todas as manhãs e saia para remar é obrigado a ficar em casa, “torcendo para chover”. Ele diz que a água do rio ainda está muito ruim e que não pode se arriscar a ser contaminado de novo. Debilitado como está, pode ocorrer alguma mais grave. Nos primeiros dias foi tratado com soro, depois vieram as injeções e os medicamentos. “Ainda sinto sonolência e fraqueza, mas estou melhor”, diz. Questionado se vai voltar a remar, é taxativo. “É só esperar o rio melhorar”. Parece ter a certeza que vai se recuperar assim que o Atibaia também estiver “curado”.