Publicado 27 de Agosto de 2013 - 18h36

Por Da redação

Ao todo, 25 cidades paulistas ainda não sabem o que é ter um homicídio em seu território. O número era maior até abril deste ano, quando a pequena Uru, com 1.246 habitantes, na região de Bauru, registrou o primeiro caso de assassinato desde que a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo passou a contabilizar e divulgar as estatísticas dos crimes cometidos no Estado. Em junho foi a vez de Rubiácea, com 2.765 habitantes, na região de Araçatuba, entrar para o mapa dos homicídios. Entre as cidades que ainda detêm índice zero de homicídios, a mais populosa, Quintana, na região de Marília, tem 6.050 habitantes. A menor em população, Santa Salete, na região de São José do Rio Preto, possui 1.446 moradores.

A maioria das cidades sem crimes de morte fica distante da capital, principalmente nas regiões nordeste e oeste do Estado. Dirce Reis, de 1.692 moradores, região de Araçatuba, está a 700 km. O município mais próximo, Águas de São Pedro, com 2.743 habitantes, na região de Campinas, dista 187 km de São Paulo. A cidade tem o segundo melhor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Brasil, indicativo de alta qualidade de vida e é campeã no quesito educação.

As outras cidades com homicídio zero são Anhumas, Bento de Abreu, Borebi, Caiabu, Cruzália, Dolcinópolis, Fernão, Gabriel Monteiro, Lourdes, Marapoama, Nipoã, Nova Guataporanga, Pracinha, Presidente Alves, Ribeirão dos Índios, São João do Pau D'Alho, Sebastianópolis do Sul, Trabiju, Turiuba, União Paulista e Zacarias.

Números do Estado

No total, as 645 cidades paulistas, incluindo a capital, já registraram 2.549 homicídios neste ano, até o final de julho, segundo estatística divulgadas na última segunda-feira (26), pela SSP. Em todo o ano passado, quando o Estado somou 4.836 homicídios, oito cidades paulistas tiveram crimes de morte pela primeira vez.

(Com informações da Agência Estado)

Escrito por:

Da redação