Publicado 23 de Agosto de 2013 - 21h09

Por Da redação

Carros fizeram circuito São Paulo - São José - Campinas - São Paulo

Divulgação

Carros fizeram circuito São Paulo - São José - Campinas - São Paulo

O 1º Rally da Economia provou que o gás natural veicular (GNV) é o combustível mais econômico em relação ao etanol e à gasolina. Durante o evento promovido pelo Sindicato de Taxistas Autônomos de São Paulo e pela Comgás, três carros idênticos, guiados por taxistas, percorreram 383 km no circuito São Paulo – São José dos Campos – Campinas – São Paulo para comparar o desempenho dos três combustíveis. O resultado deste teste foi calculado por especialistas que acompanharam o trajeto, que ao final mostrou que o carro movido à GNV apresentou o melhor rendimento e melhor custo por quilometro rodado (R$/km).

O carro movido à etanol apresentou uma média de R$ 0,185/km rodado, a gasolina R$ 0,199/km rodado e o GNV, R$ 0,109 km rodado. Comparativamente o GNV apresentou uma economia de 45% em relação à gasolina e 41% em relação ao etanol.

O veículo que utilizou o GNV, mesmo modelo dos demais, estava equipado com cilindros de 15m³ instalados na parte inferior externa, deixando livre todo o espaço do porta mala e sistema de 5ª Geração, sendo o mais moderno no mercado. Sua principal característica é a injeção eletrônica que permite uma melhor relação de consumo e performance proporcionando melhor rendimento e desempenho do veículo.

Além da vantagem econômica, são inúmeros os atributos que fazem do GNV o combustível ainda mais vantajoso. “O Gás Natural é seguro, não pode ser adulterado, o seu carro se torna um real flex ou ’tri-flex’, o investimento tem rápido retorno e  sistema pode ainda ser reaproveitado na troca do veículo. Entre os  combustíveis fósseis, é o mais limpo com baixíssima emissão de poluentes, desde que a conversão seja feita corretamente”, falou o coordenador de marketing de GNV, Ricardo Vallejo. 

A economia tende ainda ser maior para todos os usuários, já que desde o início de agosto, o preço do metro cúbico do GNV foi reduzido nos postos que comercializam o produto. Essa redução de 10,42% se deu à alteração na regra do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para o produto. O preço do GNV no posto para o consumidor final segue o mesmo mecanismo dos demais combustíveis, de livre mercado.

 

Escrito por:

Da redação