Publicado 22 de Agosto de 2013 - 17h48

Por Da redação

O recém-nascido Gabriel, que foi levado da mãe de dentro do shopping

Solange Barbosa/arquivo pessoal

O recém-nascido Gabriel, que foi levado da mãe de dentro do shopping

Gabriel, o bebê de 23 dias raptado em um shopping de Santa Bárbara d'Oeste na noite de terça-feira (20), foi encontrado, segundo a Polícia Civil. A suposta sequestradora do bebê foi presa e está neste momento na Delegacia da cidade. O bebê estaria em uma casa de tarô em um bairro da cidade.

Um casal teria desconfiado da movimentação e acionado a Guarda Municipal. Ao chegar, a GM encontrou sete pessoas no local, entre elas a sequestradora. Todos foram levados à delegacia. Uma delas já teria confessado o rapto — a que aparece ao lado da sequestradora no vídeo do sistema monitoramento de rua na noite de terça-feira (20), confessou o crime. O recém-nascido está na delegacia e já foi reconhecido pela avó. A mãe, uma adolescente de 15 anos, que estava em Campinas, segue a caminho da delegacia. 

A sequestradora também teria sido reconhecida nesta tarde por um taxista. Ele levou as duas mulheres e um bebê com as características de Gabriel até a frente do Pronto-Socorro Afonso Ramos. De lá, segundo relatou à Polícia em depoimento na quarta-feira (21), elas pegariam um ônibus para Americana.

O caso

O bebê Gabriel foi roubado da mãe, uma adolescente de 15 anos dentro do Tivoli Shopping, em Santa Bárbara d’Oeste, na noite de terça-feira (20). Segundo a polícia, a adolescente teria sido dopada com uma substância ainda não identificada, colocada no suco da vítima por uma mulher que se aproximou da família durante a gravidez, afirmando ser de uma organização não governamental (ONG).

A sequestradora, que sempre usava peruca, lentes de contato verdes e muita maquiagem, com o argumento de que tinha câncer, tem entre 30 e 35 anos de idade. O pai da criança, o calheiro Igor Felipe Barbosa, de 18 anos, e a avó paterna, a coordenadora Solange Cristina Barbosa, de 34 anos, afirmam que só souberam da existência desta 'amiga' na data do crime. A adolescente mora com uma tutora legal na Vila Pântano, já que a mãe está presa desde março por tráfico de drogas.

Segundo os familiares, a mulher, que se identificou como Márcia, se aproximou da jovem no 5º mês de gestação dizendo que trabalhava em uma ONG de apoio à jovens grávidas e que iria ajudá-la.

Ela chegou a pagar um ultrassom no 7º mês, mas nunca entregou o exame para a mãe. Também doou uma cômoda e prometeu dar uma máquina de lavar. “Elas se viram apenas três vezes, mas a Márcia ligava todos os dias para saber quando o bebê iria nascer e depois perguntava se ele era bonitinho”, conta Barbosa.

“Meu filho tem um problema na válvula do coração e precisa tomar remédio todos os dias para o sangue não voltar para o coração. Se ele não tomar o medicamento corre risco de vida.” O bebê Gabriel nasceu com doença cardíaca.

Na tarde de terça-feira, a avó paterna foi visitar Gabriel e encontrou a nora se aprontando para ir com Márcia até Americana, com a promessa de uma consulta em um cardiologista.

“Vi que ela estava de lente e peruca. Desconfiei e decidi ir junto de ônibus”, disse Solange. “Lá na clínica ela nos enrolou que a consulta foi desmarcada. Pagou o táxi para voltar e ofereceu para pagar um lanche no shopping onde eu trabalho.” 

A adolescente, a suposta ladra e um filho de Solange de 9 anos sentaram na praça de alimentação para lanchar. O garoto afirma que Márcia usou um boné que estava sobre a mesa para disfarçar, pegou algo na bolsa, despejou no copo da adolescente e mexeu.

Após beber o líquido, a vítima teria começado a passar mal e foi levada ao banheiro para lavar o rosto, acreditando estar com a pressão baixa.

“A Márcia disse que ia comprar uma pipoca para ela melhorar. Saiu com o bebê e deu R$ 9 para meu filho jogar fliperama”, contou o marido de Solange, o ajudante de produção Alex Sandro de Camargo, de 34 anos. “Minha esposa viu a nora perambulando pela praça sozinha, passando mal, e perguntou pelo Gabriel. Foi aí que percebeu o roubo.” 

O Tivoli Shopping registou imagens de todos chegando juntos às 19h08 e depois da suspeita deixando o local apenas com o bebê, às 19h42. A filmagem foi cedida à polícia.

Escrito por:

Da redação