Publicado 09 de Agosto de 2013 - 16h13

Por Da redação

Vista área da garagem de ônibus: proposta de retorno ainda indefinida

Gustavo Tilio/Especial para a AAN

Vista área da garagem de ônibus: proposta de retorno ainda indefinida

Os motoristas de ônibus urbanos de Campinas decidiram, na tarde desta sexta-feira (9), continuar a paralisação que se estende desde a manhã e que, desde então, parou o trânsito da cidade. Os trabalhadores reivindicam melhorias no que tange o plano de saúde da categoria e rejeitaram uma proposta apresentada pela Viação VB3. A empresa propôs não descontar a coparticipação de 25% dos funcionários, a partir da quarta consulta, pelo período de 30 dias. A proposta foi feita em uma reunião realizada com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas e Região, que a repassou aos trabalhadores. Cerca de 400 motoristas fecharam a Avenida Lix da Cunha, no sentido bairro-Centro, no caminho para a rodoviária, pedindo a presença de um representante da VB3, para que a empresa faça uma proposta diretamente a um advogado que os representa, sem a intermediação do sindicato.

A Polícia Militar interveio para abrir a via. Houve confusão, e uma das faixas foi, então, liberada.

O presidente do sindicato, Matusalém de Lima, está em frente à VB3 aguardando que a viação faça uma contraproposta. ?A greve não para enquanto não avançarmos?, disse.

Ainda de acordo com o sindicalista, 100% dos circulares da VB3 estão parados. Já as paralisações dos das viações Campbus, Itajaí, VB1 e Onicamp, são parciais. Ao todo, aproximadamente 60% dos ônibus da cidade estão sem circular.

(Com informações de Luciana Félix/AAN)

Escrito por:

Da redação