Publicado 09 de Agosto de 2013 - 10h51

Caos na saúde pública em Bauru não é novidade. Há tempos, pessoas reclamam por falta de vaga em UTI ou qualidade no atendimento no Pronto Socorro Central.

Diante da situação, na tarde de quinta-feira (8), o prefeito da cidade, Rodrigo Agostinho, decretou estado de Calamidade Pública. O poder público reconhece: não há leitos suficientes para atender a demanda da população.

Uma das soluções emergenciais apontadas pelo prefeito e pelo Secretário da saúde da cidade, Fernando Monti, é a contratação de vagas em UTIs em hospitais da rede particular para casos de extrema urgência. O sistema já funciona em cidades como Ribeirão Preto e Sorocaba. Por meio dele, o paciente dependente da rede pública que não consegue leito em UTI é encaminhado à rede particular. Cabe ao município arcar com os custos da internação.

Ainda de acordo com o prefeito, outras medidas devem ser estudadas para melhorar a situação da saúde pública bauruense. Com o decreto de Calamidade Pública a prefeitura poderá requisitar mais verbas para a área e estabelecer convênios emergenciais.