Publicado 13 de Agosto de 2013 - 16h00

Por Agência Estado

Felipão observa o treino da Seleção Brasileira na Basileia ao lado de Parreira

Rafael Ribeiro/CBF

Felipão observa o treino da Seleção Brasileira na Basileia ao lado de Parreira

O técnico Luiz Felipe Scolari alerta aos jogadores brasileiros: chegou o momento de dar prioridade à seleção, e não ao salário em clubes, se quiserem estar na Copa do Mundo de 2014. Em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira na Basileia, onde a seleção enfrenta nesta quarta a Suíça em amistoso, Felipão apontou que, com apenas nove meses para o Mundial e até oito amistosos pela frente a serem disputados até o Mundial, jogadores terão de optar por estar em equipes que possam jogar. "Com pouco tempo pela frente e poucos jogos, parte do processo será o de observar os nossos jogadores em seus clubes", disse Felipão. "Mas se eles não jogam, não há como observar. Não dá para observar do banco", declarou.

Dois casos preocupam Felipão: o de seu goleiro titular, Julio Cesar, e de Luiz Gustavo, volante que também é titular hoje do time nacional. Ambos estão sendo preteridos em seus clubes e negociam sair para outros times onde possam jogar. O treinador deixou claro que eles precisam optar por equipes que os deem espaço.

"Pode ser segunda, terceira ou décima divisão", disse Scolari. "O importante agora é jogar", insistiu o treinador, contando que falou tanto com o goleiro quanto com o volante sobre a situação que enfrentam.

"Os jogadores vão ter de pensar na seleção e não só na parte monetária e do clube, embora tenham que pensar muito nisso", declarou. O treinador lembrou da situação de Dida em 2001, quando era reserva do Milan. Uma conversa foi realizada com a direção do time italiano, que aceitou o liberar para defender o Corinthians.

COPA DAS CONFEDERAÇÕES - Scolari ainda deixou claro que a ordem da comissão técnico da seleção agora é a de esquecer a conquista da Copa das Confederações, justamente para apagar os erros dos Mundiais passados. "Acabou, encerrou. Muito bem, jogaram bem. Mas acabou a Copa das Confederações", disse. "Temos um longo caminho pela frente", ressaltou.

Escrito por:

Agência Estado