Publicado 24 de Agosto de 2013 - 9h54

Por Agência Anhanguera de Notícias

Um dos desenhos selecionados para o Salão de Humor de Piracicaba

Reprodução

Um dos desenhos selecionados para o Salão de Humor de Piracicaba

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba celebrou 40 anos com exposição aberta no último sábado (24), quando foram anunciados os vencedores da edição histórica. Quem levou o Grande Prêmio – Troféu Zélio de Ouro (R$ 10 mil) foi o cartunista sérvio Goran Divac, primeiro colocado na categoria Cartum. As visitas seguem até 20 de outubro, com entrada gratuita.

O Grande Prêmio foi escolhido entre os vencedores das categorias Cartum, Caricatura, Charge e Tiras/HQ, que recebem R$ 5 mil cada. Divac também venceu entre as charges, portanto, acumulou R$ 20 mil. A melhor tira tem assinatura de José Antonio Costa (Jota A), de Teresina (PI), enquanto Bruno Hamzagic, de Taboão da Serra (SP) venceu em caricaturas.

O vencedor do Prêmio Temático Futebol (R$ 5 mil) foi o mexicano Angel Boligan Corbo, enquanto Lézio Custódio Junior, de São José do Rio Preto (SP), garantiu o Prêmio Saúde Unimed (R$ 3 mil) e o argentino Pablo Ezequiel Lobato, o Prêmio Aquisitivo Câmara de Vereadores de Piracicaba (R$ 3.131,11).

Foto: Divulgação

Grande Premio e Premio Cartum, de Goran Divac (Servia)

Grande Premio e Premio Cartum, de Goran Divac (Servia)

“O desgoverno total e o sofrimento gerado pela falta de comprometimento deixam as pessoas à mercê do caos no SUS”, disse Lézio sobre sua obra. O cartunista tem trabalhos selecionados no Salão desde 1998 e foi premiado em Cartum (2004) e Caricatura (2010).

 

MENÇÕES HONROSAS

Dos 14 artistas gráficos que receberam menções honrosas no 40º Salão, quatro são brasileiros: Caetano Cury Nardi, de Ribeirão Preto, em Tiras; Rafael Corrêa, de Porto Alegre (RS), em Charge; Josimar Costa de Lima, de Campinas, em Especial Futebol; e Silvano Mello, de Jaboticatubas (MG), em Saúde Unimed.

Rafael, que venceu em Tiras em 2012, estreia agora em grande estilo na categoria Charge. “Durante as manifestações que sacudiram o Brasil minha cabeça fervilhou de ideias. Charge não é bem a minha praia, mas toda esta movimentação me inspirou”, disse. Imaginação também não faltou a Josimar, que usou uma chuteira como plataforma para sua escultura tridimensional, que traz o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho.

Também receberam menções honrosas Didie SW (Indonésia), em Tiras/HQ; Dario Castillejos Lazcares (Cuba), Pawel Kuczynski (Polônia) e Borislav Stankovic (Sérvia), em Cartum; Toso Borkovic (Sérvia), em Charge; Walter Toscano (Peru) e Pablo Ezequiel Lobato (Argentina), em Caricatura; Igor Kondenko (Ucrânia), Carlos David Hierrezuelo (Cuba) e Vladimir Kazanevsky (Ucrânia), em Futebol.

As 14 menções concorrem ao Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto, no valor de R$ 5 mil. A votação acontece pela internet e pode ser feita pelo link www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br/humor/juri-popular.

Foto: Divulgação

Premio-Charge, de Goran-Divac (Servia)

Premio-Charge, de Goran-Divac (Servia)

MOSTRA COMPETITIVA

A mostra principal do Salão de Humor conta com 442 obras de 64 países, sendo 142 cartuns, 97 caricaturas, 74 charges, 73 tiras/hqs e 53 com o tema futebol. Ao todo 30 exposições paralelas, a metade no próprio Engenho Central, estão espalhadas por Piracicaba e podem ser vistas também na capital paulista, nas estações do Metrô.

Várias atividades paralelas estão programadas, entre elas a 2ª Caminhada com Humor, que acontece no dia 1º de setembro, às 9h, no Engenho Central. Sem restrição de idade, é possível fazer inscrição até a próxima sexta-feira (30) pelo site www.chelso.com.br (não é necessário pagamento de qualquer taxa).

Até 20 de outubro o Salão traz ainda o 11º Salãozinho de Humor, 4º Festival Paulista de Circo, além de workshops realizados pela Oficina Cultural Carlos Gomes, do Governo do Estado de São Paulo, com os profissionais Daniel HDR, Danilo Beyruth, Gustavo Duarte e Avelino.

Desde a primeira mostra, o Salão de Humor foi abraçado por artistas do jornal O Pasquim, como Millôr Fernandes, Jaguar, Fortuna, Henfil, Ziraldo, Paulo Francis e Zélio Alves Pinto, que desde 1974 frequenta o evento e em 2013 acompanhou ao lado da esposa e cartunista Ciça a abertura. Ele foi um dos homenageados, além de integrar o júri de premiação ao lado do francês Carlos Brito, da argentina radicada na Alemanha Marlene Pohle, do português António Moreira Antunes, e dos brasileiros Roberto Negreiros e Luciano Magno.

Foto: Divulgação

Premio Tiras, de Jose Antonio Costa, Jota A (Brasil)

Premio Tiras, de Jose Antonio Costa, Jota A (Brasil)

 

HISTÓRIA

 

Criado durante a ditadura militar como forma de demonstrar a insatisfação de vários artistas com o regime, o Salão Internacional de Humor de Piracicaba completa 40 anos. O salão surgiu em 1974, por iniciativa de um grupo de piracicabanos apoiado por grandes nomes do humor nacional tais como Millôr Fernandes, Jaguar, Henfil e Ziraldo, entre outros, e continua como um espaço de reflexão, de revelação de talentos e como uma grande vitrine para os profissionais do cartum, das charges e do humor brasileiro e mundial.

“O salão é um evento cultural muito conhecido no Brasil e no exterior. Ele tem uma história muito rica e importante, relacionado, inclusive, à redemocratização do país. Quando o salão surgiu, vivíamos ainda sob a ditadura militar. Ele foi então um espaço em que jornalistas, humoristas e intelectuais brasileiros ocuparam para lutar contra a falta de liberdade de expressão”, disse o cartunista Eduardo Grosso, diretor do Centro Nacional de Humor Gráfico (CEDHU), em Piracicaba, responsável pelo salão.

Neste ano, 966 artistas, de 64 países, enviaram

4.180 trabalhos para a exposição competitiva, número recorde na história do salão. Deste total, 442 obras foram selecionadas, sendo 142 cartuns, 97 caricaturas, 74 charges, 73 tiras ou histórias em quadrinhos e 53 com o tema futebol, um dos assuntos escolhidos para ilustrar a mostra deste ano. “Todos os anos o salão trabalha com um tema, embora haja a possibilidade de mandar trabalhos com temática livre. Este ano, por causa da Copa do Mundo, decidimos adotar o tema futebol”, explicou o diretor.

Entre os trabalhos selecionados estão caricaturas da presidenta Dilma Rousseff, do presidente dos Estados Unidos Barack Obama, do ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, do papa Francisco e dos jogadores Pelé e Neymar. As charges, por sua vez, exploram temas como os protestos no país, a crise no jornalismo e a denúncia de espionagem nos Estados Unidos.

“Todos os anos, o salão é um reflexo do que está acontecendo tanto localmente quanto em nível mundial. No Brasil, o grande destaque deste ano foram as manifestações e as dúvidas do governo com relação a elas. Apareceu muito a figura da presidenta Dilma com relação a isso [manifestações]. Outro assunto que apareceu muito este ano foi a espionagem, como a da figura do Obama com uma grande orelha, escutando o que os outros países estão fazendo ou tramando, e ainda as relações do homem com as novas tecnologias”, disse Grosso.

A abertura do Salão Internacional de Humor aconteceu na noite de ontem (24). As visitas, gratuitas, poderão ser feitas até o dia 20 de outubro, no Engenho Central. Além do Engenho Central, haverá exposições de obras do salão espalhadas por outros pontos da cidade, como a Câmara dos Vereadores, a Rodoviária Intermunicipal, o Shopping Piracicaba e a Biblioteca Municipal Ricardo Ferraz de Arruda Pinto, entre outros. Obras que fizeram parte da história do salão também poderão ser vistas na capital paulista nas estações Corinthians-Itaquera (Linha 3 – Vermelha) e Luz (Linha 1 – Azul) do Metrô,  além da Assembleia Legislativa.

Para comemorar os 40 anos do evento, o salão também vai abrigar o Festival Paulista de Circo. Como forma de incentivar os novos talentos, o salão promove a 11ª edição do Salãozinho de Humor, com a participação de crianças entre 7 anos e 14 anos, matriculadas nas escolas públicas ou particulares de todo o país.

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias