Publicado 24 de Agosto de 2013 - 22h45

Por Marita Siqueira

Ubirajara Júnior, do Nosso Bar, em Campinas, com a cerveja Trooper

Edu Fortes/AAN

Ubirajara Júnior, do Nosso Bar, em Campinas, com a cerveja Trooper

Cevada, malte, lúpulo e rock’n’roll. Uma combinação destinada ao sucesso. Não é de hoje que grandes bandas de rock lançam cervejas com seu nome, mas esse mercado parece estar ganhando cada vez mais força. Nesta semana, por exemplo, chegou a Campinas o primeiro lote — ainda que modesto — da recém-lançada Trooper, bebida com a chancela da banda britânica de heavy metal Iron Maiden, atração que encerra o Rock in Rio 2013, no dia 22 de setembro. Aliás, a “loira” quase “ruiva” foi elaborada sob o olhar atento do vocalista Bruce Dickinson, homem conhecido por sua versatilidade — é também esgrimista, escritor e piloto de avião.

Além do Iron Maiden, as bandas AC/DC (Austrália), Motörhead (Inglaterra), Deep Purple (Inglaterra), Kiss (Estados Unidos), Pearl Jam (Estados Unidos) e Rush (Canadá), além das brasileiras Blues Etílicos, Sepultura, Matanza, Nenhum de Nós, Raimundos, Ultraje a Rigor e Velhas Virgens têm uma cerveja para chamar de sua.

É claro que o preço das “bebidas rock’n’roll” é mais salgado se comparado às tradicionais pilsen consumidas no País. Apenas por mérito comparativo, enquanto a Brahma ou a Skol são comercializadas nos bares por R$ 7,00, em média, a Trooper chega ao Brasil a R$ 30,00 em média no varejo — agregado ao valor, além do selo Iron Maiden, há a pouca quantidade a desembarcar por aqui no primeiro lote: apenas 2,5 mil unidades.

Ubirajara Júnior, gerente do Nosso Bar, conhecido reduto de cervejas importadas em Campinas, conta que há três meses fez reserva na distribuidora e a parte que lhe cabe desse lote chegou somente nesta semana, ainda em número menor do que o pedido. “Assim que tive conhecimento (do lançamento), fui atrás para trazer para o bar porque nossos clientes procuram cervejas novas. A saída é certa”, afirma. “Pedi oito caixas (cada uma tem oito unidades), mas entregaram só 24 garrafas. Tem muita gente querendo”, completa. Além do Nosso Bar, o Bar Brejas também recebeu a bebida. Diversidade

A Trooper, cujo nome faz referência a um dos grandes sucessos da banda nos anos 80 (The Trooper), é uma cerveja rótulo Bitter Ale, ou seja, ela tem alta fermentação. Possui um sabor acentuado de malte e um toque levemente cítrico. Seguindo a linha heavy metal, os integrantes do Sepultura optaram pelo rótulo Weiss, produzido pela cervejaria Bamberg com malte de trigo.

E por falar na Bamberg, ela é também responsável pela bebida dos Raimundos, cujo rótulo é Helles (baixa fermentação, tendo como base o pão líquido da Bavária), e da cerveja pilsen (mais leve e com baixa fermentação) dos gaúchos Nenhum de Nós, que a batizaram de Camila, Camila, em homenagem à clássica música da banda.

Biritis

O humorista Mussum, de Os Trapalhões, foi homenageado pelo filho Sandro Gomes com uma cerveja artesanal chamada Biritis. Lançada no último dia 16, a bebida será vendida em garrafas de 600ml ao valor médio de R$ 20,00, a princípio apenas em alguns pontos de São Paulo e Rio de Janeiro, incluindo uma loja na escola de samba de coração do artista, Estação Primeira de Mangueira. Biritis é o primeiro produto da cervejaria Brassaria Ampolis.

Escrito por:

Marita Siqueira