Publicado 25 de Agosto de 2013 - 0h00

Colunista Nelson Jacintho

Divulgação

Colunista Nelson Jacintho

O titulo em epígrafe pode parecer contraditório e sem sentido. As pessoas atuais acostumadas a olhar para o futuro, quando se fala em progresso, podem se sentir confusas quando se diz que o progresso voltou ao passado. Como se sabe a palavra progresso significa avanço, coisa nova, fato novo. Quando você teve progresso na escola, você passou de ano! Quando teve progresso nas finanças, ficou mais rico! Quando compra um carro novo, alguém diz que você progrediu! Assim, todos acreditam que progredir é seguir à procura do novo, do futuro e não voltar ao passado! Desta vez, creio que o progresso caminhou em caminho inverso e foi ao passado procurar soluções antigas para resolver problemas atuais e futuros! Vamos aos fatos. A Prefeitura de São Paulo estabeleceu naquele município novas normas para o ensino fundamental.

Como sabemos, na atualidade a criança passa de ano progressivamente sem comprovar o seu aprendizado, isto é, não faz nenhuma prova para comprovar que está apta para passar para o ano mais adiantado. Essa loucura de governantes passados vem perdurando no estado de São Paulo até os nossos dias. Essa norma atual que vem perdurando há anos, trouxe para as crianças paulistas um total desarranjo no ensino fundamental. Crianças terminam o oitavo, nono anos de estudo sem saber ler e escrever. O que essas crianças ficaram fazendo na escola durante esses oito, nove anos? Temos a impressão que fizeram de tudo, menos aprender a ler e a escrever!

A Prefeitura de São Paulo, através de sua Secretaria da Educação, vai adotar nos próximos anos, novas normas para esse ensino básico! A criança não sairá da escola sem saber ler e escrever! Essa será a norma! Para que isso aconteça, várias regras serão estabelecidas. As provas mensais voltarão a existir, o boletim mensal deverá voltar à tona para que o responsável o assine, tarefas serão dadas aos alunos para que sejam feitas em casa, provas de avaliação serão feitas para ver se o aluno irá ou não em frente. Isto, segundo a Secretaria da Educação fará com que os pais ou responsáveis participem mais da vida escolar dos alunos. Segundo a Secretária, os professores, esses mártires do ensino brasileiro, serão mais valorizados e respeitados, dentro e fora das salas de aulas. Oxalá tudo isso seja verdade!

Caso isso venha a acontecer, temos certeza de que o nível de escolaridade das crianças e a autoestima dos professores da cidade de São Paulo deverão subir muito! É lamentável ver o nível escolar das crianças paulistas, atualmente. Elas não sabem ler, não sabem escrever, não sabem fazer contas de multiplicar, dividir, somar e diminuir! É uma vergonha para o ensino e para o povo paulista! Pena que apenas a cidade de São Paulo começará a praticar o novo/velho método de ensino! Torço para que o país todo venha a adotar tal iniciativa! Preocupa-me o fato de que muita gente por interesses escusos venha tentar impedir a realização dessas novas propostas!

Muito já se ouviu dizer que governar um país de ignorantes é muito mais fácil. Até agora parece que a tese é verdadeira!

Vamos adotar a idéia da Prefeitura de São Paulo e exigir que ela seja praticada em todo o país! Eu acho que filho esclarecido é mais fácil de criar e, embora os políticos percam, o país muito vai ganhar!

Homenagem

O nosso colunista Dr. Nelson Jacintho, médico e escritor tomará posse na Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto, às 20 horas desta sexta-feira, no Centro Médico de Ribeirão Preto, à Rua Tomaz Nogueira Gaia 1275. Ele ocupará a cadeira nº 32 cujo patrono é Antônio Botelho e cujo antecessor foi Alcides Antiório dos Santos. Nelson Jacintho escreve para a Gazeta todos os domingos onde publica suas crônicas semanalmente. É medico ortopedista em Ribeirão Preto: é formado pela Faculdade de Medicina da USP e já publicou nove livros, além de ter participado de mais de 40 antologias. Está com dois livros no prelo para serem publicados. Pertence à Academia Ribeirão-pretana de Letras da qual é o atual vice-presidente. É o fundador do Grupo de Médicos Escritores e Amigos Dr. Carlos Roberto Caliento grupo de intensa atividade literária que se reúne todos os meses para apresentar trabalhos literários de alto nível. Pertence à Academia Brasileira de Médicos Escritores cuja sede está no Rio de Janeiro, à Sociedade Brasileira de Médicos Escritores com sede em São Paulo, à Real Academia de Letras de Porto Alegre e outras entidades literárias de igual valor. É o coordenador do Movimento dos Escritores de Ribeirão Preto e Região junto à Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto. Foi o Autor Local homenageado pela Feira do Livro 2013.