Publicado 26 de Agosto de 2013 - 13h12

Por Agência Estado

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, esclareceu nesta segunda-feira, 26, que os médicos cubanos que vão atuar no Brasil continuarão recebendo o salário integral que ganham em seu país de origem, além de um bônus por participar de missões externas. Mais cedo, a vice-ministra de Saúde de Cuba, Marcia Cobas, disse que os profissionais do país recebem 100% de seus salários. Isso se refere, segundo Padilha, ao valor repassado pelo governo cubano, e não ao valor integral do Programa Mais Médicos, de R$ 10 mil. Perguntado se o salário dos profissionais cubanos é compatível com o custo de vida no Brasil, Padilha disse "não sei". O ministro lembrou, ainda, que é compromisso dos municípios garantir moradia e alimentação para esses profissionais. "O Ministério da Saúde acompanhará isso de perto, para que profissionais tenham tranquilidade para atender bem a população" disse.

"Ela Marcia Cobas falou sobre as regras que o governo de cuba tem com 58 países, onde atendem situação parecida com a nossa. Eles mantêm vínculo permanente. Os outros médicos estrangeiros que vêm ao Brasil não têm emprego garantido no país de onde vieram. Quando acabar o período, eles não têm emprego garantido" explicou o ministro.

Escrito por:

Agência Estado