Publicado 09 de Agosto de 2013 - 23h27

Por Agência Estado

Publicidade eleitoral do então candidato Haddad gravou cenas do drama das famílias desalojadas pelo incêndio em parte dos barracos

Agência Brasil

Publicidade eleitoral do então candidato Haddad gravou cenas do drama das famílias desalojadas pelo incêndio em parte dos barracos

O uso de helicóptero na Prefeitura de São Paulo está em declínio. No primeiro semestre, o prefeito Fernando Haddad (PT) fez 62 voos, um total de 18,8 horas. No mesmo período do ano passado, Gilberto Kassab (PSD) usou 219 vezes o equipamento, em 68,3 horas. Comparando as horas de voo, queda é de 72%.

A economia é favorecida não só pela preocupação com gastos como também pelo estilo de governo de cada um. Enquanto Kassab tinha agenda externa, Haddad prefere organizar encontros na Prefeitura.

A diferença nos gastos é grande. Em uma época de corte de 20% nos contratos, o atual prefeito praticamente só utilizou o Helicóptero Águia, da Polícia Militar. Pelo convênio, a administração pode voar até quatro vezes por semana sem custo. Fora da parceria, Haddad fez 5 voos - 1h20. Já o ex-prefeito Kassab fez 77 voos - 18,9 horas fora do convênio com o Águia.

Em 2012, Kassab gastou R$ 274 mil. Por meio de sua assessoria, o ex-prefeito afirma que o uso da aeronave foi proporcional à necessidade de deslocamentos para cumprir a agenda diária. A Prefeitura não informou o valor gasto neste ano.

Escrito por:

Agência Estado