Publicado 13 de Agosto de 2013 - 15h48

Por France Press

'O povo quer o Ennahda de novo', cantavam os manifestantes, em sua maioria mulheres.

France Press

'O povo quer o Ennahda de novo', cantavam os manifestantes, em sua maioria mulheres.

Centenas de manifestantes responderam nesta terça-feira (13) ao chamado do partido islamita Ennahda, no poder na Tunísia, para marcar, em plena crise política, o Dia da Mulher tunisiano. Paralelo a isso, a oposição espera mobilizar uma multidão na manifestação programada para a noite.

Os manifestantes, reunidos numa avenida central de Túnis, cantavam em apoio ao governo do Ennahda, cuja renúncia é exigida por inúmeros partidos e organizações da sociedade civil desde a morte, em 25 de julho, de um deputado da oposição.

"O povo quer o Ennahda de novo", cantavam os manifestantes, em sua maioria mulheres.

Ao contrário de sua grande manifestação de 3 de agosto, que reuniu milhares de pessoas, o Ennahda não mobilizou desta vez esforços logísticos para atrair manifestantes.

Por outro lado, a oposição, os sindicatos e as associações feministas organizam uma grande marcha na capital para defender os êxitos das tunisianas e também reclamar a renúncia do governo.

O Dia da Mulher na Tunísia marca a adoção, em 1956, de uma legislação que concede às tunisianas direitos sem igual no mundo árabe.

Escrito por:

France Press