Publicado 26 de Agosto de 2013 - 10h46

Por Moara Semeghini

Com cartazes, pequeno grupo de estudantes afirma que 'Subsídio não é a redução'

Dominique Torquato/AAN

Com cartazes, pequeno grupo de estudantes afirma que 'Subsídio não é a redução'

Com o Plenário Câmara de Campinas lotado, os vereadores inciaram às 9h, a audiência pública que discute o projeto que permite à Prefeitura aumentar o subsídio pago aos permissionários e concessionárias do sistema de transporte público da cidade.

O perueiro Lincon Silva, a favor do subsídio, afirma que os benefícios de gratuidade do sistema de transporte, poe exemplo, – para gestantes, deficientes físicos, idosos e estudante – prejudica de sua categoria. A projeção é passar dos R$ 36 milhões atuais para R$ 70 milhões por ano. A alta é justificada pela redução da tarifa de R$ 3,30 para R$ 3 após a pressão das manifestações. A tarifa por R$ 1,50 nos últimos domingo do mês, contribuem ainda mais para este prejuízo. 

Um pequeno grupo de estudantes, com cartazes com os dizeres 'subsídio não é redução', participam da audiência. Procuradas pela reportagem, elas se recusaram a falar com a imprensa.

Irritado com o pequeno protesto das estudantes, Lincon Silva rebateu: 'Na hora de andar de graça, vocês não protestam...' 

Com informações e imagens de Dominique Torquatro/AAN 

Confira a audiência ao vivo, da Câmara de Campinas:

 

Escrito por:

Moara Semeghini