Publicado 25 de Agosto de 2013 - 13h20

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, área alagadas, pedras enormes, além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

Divulgação

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, área alagadas, pedras enormes, além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

A segunda edição do Adventure Tour reuniu cerca de 70 pessoas de Campinas e região neste sábado (24) para sentir, durante quatro horas, a emoção e adrenalina por trilhas e aproveitar das lindas paisagens pela áreas rurais que cortam os distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Aproximadamente 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes no meio do caminho, além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego de piloto e garupa.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

O passeio off-road promovido pela BRP, fabricante dos quadriciclos CAN-AM, é aberto para todas as marcas e a inscrição foram dois quilos de alimentos não-perecíveis. Ao todo, cerca de 100 quilos de alimentos foram arrecadados e serão doados para uma instituição de caridade de Campinas. Ao longo do ano o Adventure Tour ocorre em várias partes do País, inclusive neste final de semana também aconteceu uma etapa em Natal.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego"Foram mais de mil edições pelo Brasil e cerca de 5 mil pessoas já participaram. Teve etapa que chegou a ter 200 participantes" , conta, Egon Jenckel, o organizador de todas as etapas do Adventure Tour.

O objetivo é a confraternização, formar novos grupos e aprimorar o conhecimento para os pilotos iniciantes, já que a trilha tem nível de dificuldade intermediária e o acompanhamento de instrutores, que auxiliam nos pontos bem complicados. Uma equipe de apoio garante o socorro médico aos participantes e reboque em caso de defeito nos veículos.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

O empresário Daniel Piccolomini Oliverio descobriu o quadriciclo há um ano. O ex-atleta de Motocross ficou deficiente físico desde que sofreu um acidente nos treinos, em 2009. Ele faz passeios em grupos e outros sozinho. "Já andava de jipe . Gosto de lama e barro e aqui encontro isso" , disse Oliverio.

Muitos aproveitaram o passeio em família e a faixa etária do grupo era bem variada, reunindo desde crianças até o pessoal mais velho. "Basta ter disposição para um dia de aventuras" , brinca Jenckel.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

Utilizei um modelo Can-Am 400 Max XT, com dois lugares, câmbio CVT (automático), suspensões independentes e tração 4X4. No princípio parece simples pela estrada de terra sentido Usina Jaguari, mas quando entra em uma área particular começam as dificuldades. Primeiro um barranco muito íngreme, que dá sensação de se jogar em um abismo. Na sequência, um trecho de trezentos metros por um córrego com o nível de água bem baixo e ainda outro barranco, mas desta vez para subir, onde o quadriciclo mostra uma força impressionante.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

Em seguida, muitos quilômetros de estradas com subidas e descidas cheias de erosões profundas e pedras, galhos no chão e outros que parecem armadilhas para atingir a cabeça ou os braços e mãos. Tem ainda as pedras, enormes e estrategicamente dispostas pelo caminho, dificultam o controle do quadriciclo e as rodas ficam suspensas no ar. Em outros momentos passam a sensação que vão te arremessar para fora do veículo e da pista. Os instrutores ficam nos pontos mais complicados e passam as orientações para os pilotos e aos poucos, todos vão superando. Até pelo meio de uma plantação de café os quadriciclos passaram.

Cerca de 50 quadriciclos percorreram 40km com lama, áreas alagadas, pedras enormes além de muitas subidas e descidas de tirar o fôlego

Na chegada, por volta das 15h, os participantes foram recebidos com um churrasco, regado com muitas histórias e algumas dores pelo corpo. "O bom é juntar as pessoas e utilizar os veículos", disse Gandhi Secaf, proprietária da revenda Posto 6 Motonáutica

Quadriciclo

Quadriciclo, ou ATV (All-Terrain Vehicle) é um veículo motorizado aberto com quatro rodas, para uso off road. A condução é semehante a de uma motocicleta com maior estabilidade em baixas velocidades por ter quatro rodas e até seis em alguns modelos. A capacidade dos motores que equipam os ATV vendidos no Brasil varia de 50cc a 1000cc.