Publicado 12 de Agosto de 2013 - 19h41

Depois de sete dias em greve para pedir reajuste salarial, os funcionários da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) voltaram ao trabalho na madrugada desta segunda-feira (12).

De acordo com o presidente do Sindviários, Reno Ale, a categoria está esperando uma resposta do presidente da Câmara de Vereadores, Campos Filho (DEM), sobre o agendamento de uma reunião entre os trabalhadores e o secretário de Transportes, Sérgio Benassi. O encontro deve ocorrer entre terça (13) e quarta-feira (14).

A categoria pede reajuste de 7,16%, mais 4% a partir de janeiro, 15% de ganho no vale-alimentação, além de 11% no vale-refeição.

A Prefeitura alega que não tem condições de atender aos pedidos dos trabalhadores. A empresa e os funcionários aguardam o julgamento do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) sobre o pedido de dissídio coletivo, que ainda não tem data definida.

Durante a paralisação, iniciada em 5 de agosto, a categoria realizou várias manifestações e passeatas por ruas movimentadas da região central de Campinas. Na semana passada, enquanto a assessoria da Emdec informava que apenas 20% dos 821 funcionários aderiram ao movimento grevista, o sindicato afirmava que 70% dos trabalhadores estavam de braços cruzados.

Na última sexta-feira (9), antes de se reunirem com a Comissão de Mobilidade Urbana da Câmara, os trabalhadores da Emdec queimaram um boneco do secretário de Transportes diante do Legislativo para protestar contra a gestão de Benassi.

No encontro, ficou decidido que a comissão, liderada pelo vereador Vinicius Gratti (PSD), intermediaria uma reunião entre a Secretaria de Transportes e os representantes do Sindviários, para que os manifestantes tenham apoio nas negociações do reajuste de 17% solicitado pela categoria.

A reunião teve participação de dez representantes do Sindviários, do presidente da Câmara, Campos Filho (DEM) e da Comissão de Mobilidade Urbana. O vereador Vinicius Gratti (PSD) confirmou que a reunião entre representantes da Emdec, o sindicato e a Secretaria de Transportes deve acontecer entre terça e quarta-feira.