Publicado 11 de Agosto de 2013 - 20h05

Por Milene Moreto

Funcionários da Casa trabalharam no final de semana para consertar o que foi danificado na manifestação

Érica Dezonne/AAN

Funcionários da Casa trabalharam no final de semana para consertar o que foi danificado na manifestação

Com o plenário consertado, depois da manutenção realizada neste final de semana para arrumar o que ficou danificado durante a invasão da última quarta-feira, a Câmara de Campinas retoma nesta segunda-feira (12) as sessões, com segurança reforçada. Os vereadores devem votar um pacote com 19 projetos acumulados devido à suspensão da última reunião, quando a Câmara foi tomada por manifestantes.

O ato, organizado por partidos políticos, líderes sindicais, estudantis, anarquistas e punks, durou cinco horas e terminou em depredação do espaço. Ainda que não haja previsão de nova manifestação, o presidente do Legislativo, Campos Filho (DEM), pediu reforço da Polícia Militar e da Guarda Municipal para garantir o trabalho dos parlamentares e evitar outra ocupação. Durante a sessão da semana passada, manifestantes tomaram o plenário da Câmara e promoveram um quebra-quebra.

A Casa não tinha, no momento, policiais e guardas municipais suficientes para evitar a invasão. A ausência de um efetivo maior gerou críticas dos vereadores ao presidente do Legislativo e foi motivo de bate-boca entre o democrata e demais parlamentares. Na ocasião, Campos informou que havia feito o pedido para a PM e para a Guarda, mas o efetivo enviado não conseguiu impedir que o plenário fosse ocupado. Para evitar que o local seja novamente alvo de vândalos, o democrata mais uma vez pediu o reforço da polícia para a sessão de desta segunda.

Por causa dos estragos, funcionários trabalharam, sábado e neste domingo, na recuperação e troca do mobiliário, do revestimento das paredes, das placas e da tribuna.

Leia matéria completa na edição desta segunda-feira (12) do Correio Popular

Escrito por:

Milene Moreto