Publicado 09 de Agosto de 2013 - 17h40

Imagens de câmera de segurança mostram bandido rendendo vítima com um fuzil em frente a banco em Barrinha, no mês de maio

Luís Augusto/Gazeta de Ribeirão

Imagens de câmera de segurança mostram bandido rendendo vítima com um fuzil em frente a banco em Barrinha, no mês de maio

Três integrantes de uma quadrilha que utilizava explosivos em ataques a caixas eletrônicos foram presos na manhã desta sexta-feira (9) pela Polícia Civil de Ribeirão Preto. Junio de Souza Vieira, conhecido como Bocão, 32 anos, Derk Antunes da Silva, vulgo Piauí, 22, e Mariane Ferreira de Melo, 22, foram surpreendidos dentro das próprias casas nos bairros Parque Ribeirão Preto, Alto do Ipiranga e Jardim Paulo Gomes Romeo.

Essa quadrilha também é apontada pela Polícia Civil como autora do roubo de meia tonelada de explosivos de uma pedreira na Rodovia Antonio Machado Sant’Anna, em Ribeirão, no mês de fevereiro. “Há um mês essa investigação ganhou mais corpo e nos levou a identificar a quadrilha que roubou os explosivos da pedreira e que participou de pelo menos 10 ataques a caixas eletrônicos principalmente na região”, afirmou o delegado assistente da Delegacia Seccional, Gustavo André Alves, que qualificou a quadrilha como “o principal núcleo e o mais violento dos grupos que investiram contra caixas eletrônicos.”

Os homens presos agiam diretamente no ataque aos caixas eletrônicos, enquanto que a mulher atuava como motorista para os assaltantes. No total, a quadrilha era composta por cinco membros. Dois suspeitos ainda estão foragidos, porém já estão com as prisões preventivas decretadas. Uma das ações feitas pelo grupo aconteceu no dia 25 de junho, com o roubo e explosão de caixa eletrônico do Banco do Brasil na cidade de Pradópolis. Na ocasião, foram efetuados vários disparos de armas de fogo de calibres 12 e 9 mm para impedir a aproximação de policiais militares. “Era um quadrilha que vinha atuando com uma característica peculiar, pois eles eram os que agiam com mais violência contando com armamento pesado, de grosso calibre”, ressaltou o delegado.

Os três presos também foram identificados em tentativas de ataques a caixas em Cruz das Posses e Pontal, no dia 1 de julho, porém tiveram as ações frustradas. “Conseguimos evitar que a quadrilha fizesse essas explosões. Identificamos que eles já estavam presentes na madrugada pelas cidades e solicitamos o apoio da Polícia Militar, então eles decidiram fugir”, disse Alves, que confirmou também a passagem do grupo em Ribeirão e Barrinha.

A última ação criminosa aconteceu nesta quinta-feira (8). Os suspeitos foram responsáveis pela explosão em caixa eletrônico em Santo Antônio da Alegria. Houve troca de tiros e os policiais recolheram no local cartuchos deflagrados de munição calibre 12, 9 mm e de fuzil 5.56.

Nenhuma arma ou explosivos foram apreendidos durante esta operação, porém a Polícia Civil admite ter pistas sobre uma casa onde podem estar escondidos algumas das armas e explosivos utilizados pela quadrilha.

Os homens foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória da cidade, enquanto que a mulher foi transferida à Cadeia Pública Feminina de Cajuru. O trio responderá pelos crimes de roubo, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo e dano ao patrimônio público.

Imagem Anterior

Imagem Próximo

1/10

Imagem Anterior

Imagem Anterior