Publicado 10 de Julho de 2013 - 23h53

Por Agência Estado

O técnico Paulo Autuori durante sua primeira passagem pelo São Paulo em 2005

Divulgação

O técnico Paulo Autuori durante sua primeira passagem pelo São Paulo em 2005

Paulo Autuori desembarca nesta quinta-feira (11) em São Paulo para assinar contrato com o São Paulo e tentar colocar o time nos eixos. O treinador resolveu as últimas pendências burocráticas com o Vasco nesta quarta-feira (10) e ficou livre para sacramentar o seu retorno ao Morumbi após os títulos da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa de 2005. Ele pode inclusive comandar o primeiro trabalho tático já na reapresentação no CT da Barra Funda.

O acerto só não aconteceu antes porque Paulo Autuori se negou a conversar com o clube tricolor enquanto tivesse vínculo empregatício com o Vasco. O feriado estadual da Revolução Constitucionalista na última terça-feira (09) também atrapalhou os planos dos dirigentes, já que o presidente Juvenal Juvêncio e o diretor de futebol Adalberto Baptista viajaram para descansar. Nesta quarta, as partes chegaram a um acordo apesar dos esforços da diretoria em tentar negar o óbvio.

Paulo Autuori era o candidato único a assumir a vaga deixada por Ney Franco e a diretoria nunca chegou a procurar Muricy Ramalho, preferido da torcida e que teve seu nome mais uma vez gritado após a derrota para o Bahia. Ele já havia sido procurado outras duas vezes e declinou do convite por estar no Al Raayan, do Catar. O primeiro indício de que o acerto poderia ocorrer foi dado quando ele, ainda dirigindo o Vasco, disse que não se sentia confortável para negar uma terceira aproximação.

“O Autuori é um grande técnico, tem o perfil de qualquer grande clube. Vamos ver como ele vai nos ajudar", projetou o atacante Aloísio logo após o jogo. Ele já chega com problemas para escalar a equipe contra o Vitória, no domingo (14), em Salvador, uma vez que Luis Fabiano e Clemente Rodríguez foram expulsos e são desfalques certos, enquanto que Rafael Toloi e Douglas, lesionados, seguem como dúvida. No entanto, a equipe terá os retornos de Wellington e Denilson, que cumpriram suspensão nesta quarta.

IRRITAÇÃO - Rogério Ceni precisou se conter para não metralhar críticas contra seus companheiros. Visivelmente irritado com mais uma derrota e as expulsões do lateral-esquerdo argentino e especialmente do centroavante, ele deixou nas entrelinhas seu descontentamento. “Às vezes você fala uma verdade para se arrepender depois”, esbravejou o goleiro e capitão.

Escrito por:

Agência Estado