Publicado 13 de Julho de 2013 - 7h05

Por Paulo Santana

O atacante William recusou uma proposta do futebol chinês

Elcio Alves/AAN

O atacante William recusou uma proposta do futebol chinês

Na estreia do técnico Paulo César Carpegiani, a Ponte Preta mostrou sua nova cara e venceu o Náutico, por 3 a 1, em plena Arena Pernambuco. Neste sábado (13), diante do Bahia, às 21h, no Estádio Moisés Lucarelli, terá a oportunidade de confirmar diante de seus torcedores que o intervalo para a Copa das Confederações serviu para recolocar o time nos eixos. Se vencer o jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, a Macaca chegará aos nove e já começará a vislumbrar um lugar no meio da tabela.

O técnico Paulo César Carpegiani só pensa na vitória. "Já tinha visto alguns jogos do Bahia e a vitória que eles conseguiram diante do São Paulo fora de casa (quarta-feira, por 2 a 1) só confirmou aquilo que eu pensava: é um time pronto. Teremos muitas dificuldades, mas confio num bom resultado e na nossa vitória. Estamos prontos para isso", assegura o comandante.

Na opinião do treinador, a série de quatro derrotas consecutivas em casa da Ponte (Palmeiras, Corinthians, Atlético-PR e Nacional-AM) não pode influenciar no confronto deste sábado. "Não podemos ficar olhando para trás. É preciso pensar para frente e entrar com o pensamento somente naquilo que podemos fazer neste jogo. Certamente, vamos entrar para ganhar", avisa.

Depois de mandar a campo um time reserva, quarta-feira (10), na derrota por 1 a 0 diante do Nacional-AM, pela Copa do Brasil, Carpegiani terá os titulares de volta. A única dúvida está no meio-campo, entre Magal e Paulo Roberto. "Não sou treinador de ficar esperando. Se algo não está dando certo, temos que pensar em como resolver. Uma coisinha ainda não está boa e, se preciso, vamos mexer", diz. No mais, o time será o mesmo da vitória sobre o Náutico, fora de casa.

Para encerrar o incômodo jejum que vem desde o dia 12 de maio, quando bateu o Penapolense na final do Troféu do Interior, o zagueiro Ferron aposta no novo esquema adotado pelo treinador. "Quando troca o técnico, tudo muda. A gente começou da estaca zero e o grupo já assimilou perfeitamente o estilo do Carpegiani", garante.

O atacante William, que revelou ter recusado proposta de um clube chinês, também confia na vitória. "Fizemos uma grande partida contra o Náutico e temos condições de manter o ritmo contra o Bahia. Sabemos que se trata de um time que vem bem na competição, mas temos a obrigação de fazer o resultado a nosso favor", afirma.

Segundo o atacante, a oferta da China surgiu pouco antes do jogo com o Náutico. "Um empresário de São Paulo me procurou e apresentou a proposta. Tinha todo interesse de pagar a multa (R$ 2,5 milhões) e queria conversar com a diretoria, mas falei que não quero sair", afirmou o artilheiro, que já marcou 19 gols na temporada.

Escrito por:

Paulo Santana