Publicado 10 de Julho de 2013 - 7h09

Chiquinho será um dos três titulares da Macaca em campo nesta quarta-feira (10)

Leandro Ferreira/AAN

Chiquinho será um dos três titulares da Macaca em campo nesta quarta-feira (10)

A formação com apenas três atletas considerados titulares para o duelo desta quarta-feira (10), às 19h30, entre Ponte Preta e Nacional-AM, pela Copa do Brasil, no Moisés Lucarelli, nem chegou a ser surpreendente. O que ninguém esperava era a rígida postura de Paulo César Carpegiani com o regulamento da competição.

O treinador da Macaca não poupou críticas à CBF por impedir que a equipe, caso passe pela terceira fase da Copa do Brasil, perca o direito de disputar a Copa Sul-Americana pela primeira vez em sua história. A Ponte só entrará na competição internacional se for eliminada pelo time amazonense, atual líder do Grupo A1 da Série D do Brasileiro. O jogo de hoje é válido pela rodada de ida.

A orientação do técnico é que os escalados para o duelo desta noite de quarta entrem para vencer. Mas Carpegiani admite que gostaria de poder disputar também a Sul-Americana. "Não sabemos sair da sinuca de bico em que estamos. Vamos jogar para conseguir a vitória, mas perder a vaga na Sul-Americana é um problema criado por aqueles que fizeram o regulamento", reclama.

Dos jogadores que entrarão em campo, apenas o goleiro Roberto, o zagueiro Diego Sacoman e o meia Chiquinho atuaram na vitória de sábado (06) diante do Náutico por 3 a 1. Os demais, segundo Carpegiani, serão poupados para estarem 100% fisicamente diante do Bahia, novamente em Campinas, sábado (13), pelo Brasileirão. "Se eu botasse todo mundo contra o Nacional, eu não teria condições de treinar com todos eles no dia seguinte e isso prejudicaria o nosso planejamento para o Brasileiro. Por isso, eu tive o cuidado ao escolher quem escalar", justifica o comandante alvinegro.

Ainda que defenda o elenco e refute a hipótese de ter "apenas" 11 titulares, Carpegiani dá a entender que o Brasileiro tende a ser a prioridade no momento. "Não estamos negligenciando a competição. Pelo contrário. Temos condições de vencer a Copa do Brasil. Outro fator é que não considero que a equipe que vai a campo amanhã (quarta) seja reserva. O nosso grupo tem 20 ou 30 jogadores que podem ser úteis no decorrer de uma partida", reitera.