Publicado 14 de Julho de 2013 - 17h14

Pela quarta rodada da Série C, o Guarani e Grêmio Barueri se enfrentaram neste domingo no estádio Brinco de Ouro

Gustavo Tílio/Especial para AAN

Pela quarta rodada da Série C, o Guarani e Grêmio Barueri se enfrentaram neste domingo no estádio Brinco de Ouro

Apesar de invicto, pela primeira vez no campeonato, o Guarani está fora do G4 da Série C do Campeonato Brasileiro. O fraco ataque do Bugre decepcionou novamente e o time apenas empatou em 0 a 0, aumentando o jejum de gols no torneio, com o Grêmio Barueri, no Brinco de Ouro, em duelo válido pela 4ª rodada.

Veja aqui como foram os principais lances da partida

Mesmo com o horário atípico para uma partida - o jogo aconteceu na manhã de ontem, às 10h - a torcida fez a sua parte, com presença de pouco mais de 3,7 mil pessoas. Mesmo assim, os torcedores acompanharam, como nos últimos confrontos, a defesa alviverde não ter trabalho durante os 90 minutos, com destaque para o goleiro Juliano, e os meias e atacantes sofrerem para conseguir encaixar uma jogada, em uma clara falta de criatividade.

Com o resultado, o Guarani vai a seis pontos, ficando fora da zona de classificação para a próxima fase, como dito, e o Grêmio Barueri chega a cinco pontos ganhos. A chance de redenção será no próximo sábado, agora fora de casa. O Guarani encara o Macaé, às 16h, no Moacyrzão, no Rio de Janeiro, e o Barueri enfrenta outro time paulista, o Mogi Mirim, às 19h, no Romildo Ferreira.

O Bugre começou bem e conseguiu duas chances reais de gol com menos de cinco minutos de partida. No minuto inicial, Maradona cruzou e Julio Cesar aproveitou falha da zaga para mandar direto para o gol, mas Márcio fez uma boa defesa. Na cobrança de escanteio, Feijão cruzou na área e Romário desviou. A bola chegou a bater na zaga e sobrar para Nena, que por muito pouco não emplacou.

Os lances indicavam que o Guarani iria com tudo para conseguir a vitória em casa, mas a história não foi bem assim. Com o susto, o Barueri se fechou na defensiva e segurou o Bugre com facilidade. Sem contar que os esforços para mudar o cenário foram poucos e a partida ficou equilibrada - e morna. O Barueri teve apenas uma falta na intermediária com 20' que deu trabalho ao Juliano. Harison cobrou forte, mas o goleiro espalmou para escanteio.

Sem alterações em ambas as equipes para o segundo tempo, apenas o Guarani entrou um pouco mais agressivo. Mesmo assim, o gás durou pouco. Careca, que jogou mal o tempo todo e errava até passes curtos, foi substituído por Léo Costa aos 13'. O problema foi que o Bugre continuou apostando apenas com jogadas pelo alto, com cruzamentos errados que facilitavam a vida de Márcio.

A torcida pediu Fumagalli e o técnico Tarcísio Pugliese atendeu os bugrinos aos 30'. Para tristeza dos presentes, entretanto, o Guarani não mudou a forma de jogar. O único destaque dentro de campo foi Jefferson Feijão, que conseguiu boas viradas no confronto.

Se não fosse o santo Juliano, o Guarani teria amargado a derrota. A única chance de gol do Barueri veio aos 47', quando Thiago Marques invadiu a área e passou para Renatinho. O atacante bateu rasteiro no canto esquerdo e Juliano precisou se esticar para salvar o Bugre.

Ficha

Juliano; Jefferson Feijão, Julio Cesar, Paulão e Rodolfo Testoni (Fumagalli, 30', 2º); Edmilson, Careca (Léo Costa, 13'/2º), Ewerton Maradona, Romario e Laionel (Roninho, 17', 2º); Nena.

Técnico: Tarcísio Pugliese.

Márcio; Thiago Gasparino (David Modesto, 32', 2º), Maurício Leal, Cris e Adilson; Alê, Marcelo Mendes, André Bilinha e Harison (Renatinho, 37', 2º); Niel (Thiago Brito, 22', 2º) e Tiago Marques.

Técnico: Toninho Moura.

Público: 3.712 pagantes. Renda: R$ 35.557,00. Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Juiz: José Cláudio Rocha Filho (SP). Cartões amarelos: Jefferson Feijão, Léo Costa, Romário e Paulão (GUA); Marcelo Mendes e Harison (BAR).