Publicado 11 de Julho de 2013 - 20h26

Por Carlos Rodrigues

Henan, de 26 anos, deve estar apto para estrear no dia 20, contra o Macaé

Janaina Maciel/Especial para AAN

Henan, de 26 anos, deve estar apto para estrear no dia 20, contra o Macaé

Emprestado pelo Red Bull ao Guarani até o final da temporada, o atacante Henan chega ao clube para realizar um antigo sonho. Quem vê o jogador como um dos candidatos a vestir a camisa nove e ser uma das principais peças do Bugre na busca pelo acesso na Série C do Campeonato Brasileiro, não imagina que há cerca de treze anos, a situação era diferente. Henan foi um dos centenas — em alguns casos milhares — de garotos que tentaram a sorte em muitas das peneiras realizadas pelo Guarani. Passou no teste, mas algumas dificuldades o fizeram desistir.

Quis o destino que ele voltasse ao Brinco de Ouro e tivesse a chance de escrever sua história no clube em que poderia ter sido revelado.

Apresentado oficialmente nesta quinta-feira (11), Henan ainda guarda na memória o ocorrido. "Eu tinha 13 anos, vim fazer o teste aqui e peguei uma fila monstruosa, que dava volta no quarteirão do estádio.

Passei em três peneiras, mas, pelas dificuldades em vir para Campinas, acabei desistindo, já que sempre que eu vinha, só aumentava o número de garotos. Decidi iniciar a carreira em clubes mais próximos da minha cidade", diz o jogador, que cresceu no pequeno município de Bom Jesus dos Perdões, a cerca de 67km de Campinas.

Fã incondicional de Luizão, Henan espera manter a linhagem de artilheiros que brilharam com a camisa alviverde. Números favoráveis para isso, ele tem. Maior goleador da história do Red Bull com 44 gols em 81 jogos (média de 0,54 por partida), o atleta de 26 anos sabe que chega cercado de expectativa. "Defender o Guarani é uma grande responsabilidade. Aqui passaram grandes artilheiros e agora é minha vez de vestir essa camisa. Espero corresponder toda a expectativa que foi criada", destaca.

A estreia do atacante ainda é incerta. Por conta do impasse que se criou com relação ao acordo entre Guarani e Red Bull, a vinda de Henan atrasou e o jogador apenas realizou trabalhos físicos durante o último mês. A expectativa é de que ele comece a treinar com bola na semana que vem e, caso toda a documentação esteja regularizada, fique à disposição para enfrentar o Macaé, no dia 20.

Enquanto aguarda uma oportunidade, Henan já se credencia a ajudar no que o técnico Tarcísio Pugliese precisar. "Onde o treinador tiver necessidade, eu posso me encaixar. Já joguei como centroavante e como segundo atacante. Já atuei mais aberto, como falso nove acompanhando o volante adversário. Vou tentar me encaixar o mais rápido possível no esquema tático dele para poder ajudar."

Escrito por:

Carlos Rodrigues