Publicado 12 de Julho de 2013 - 5h00

Luis Nicolau, empresário, Campinas

Cedoc/RAC

Luis Nicolau, empresário, Campinas

Urna

Luis Nicolau

Empresário, Campinas

(…) Toda urna, antes de ser liberada para os trabalhos pelo presidente de seção, emite a chamada zerésima na frente dos que estão em serviço e delegados de partidos presentes no local. Tal procedimento é para provar que nessa urna inexistem dados armazenados. Feito isso, a máquina é liberada para início dos trabalhos. Ao fim da eleição, o presidente, sempre na frente de testemunhas, emite vias do conteúdo da urna, ou seja, quem foi votado e quantos votos obtiveram naquela seção: é o chamado “espelho”. Uma via fica afixada na porta da seção e outras tantas são emitidas, quantas forem necessárias, dependendo do número de partidos presentes. Os partidos conseguem antecipadamente saber o resultado da eleição porque possuem filiados em todas as seções das zonas eleitorais e levam esses espelhos para a sede de seus partidos, onde a contagem é feita. Todos os documentos emitidos são armazenados nos cartórios eleitorais respectivos. (...)