Publicado 13 de Julho de 2013 - 5h00

Por Milene Moreto

iG - Milene Moreto

Cedoc/RAC

iG - Milene Moreto

Por mais estranhos e bizarros que possam parecer, alguns projetos de lei propostos pelos parlamentares em todo o País e que causam polêmica, têm sua razão de ser. Eleitos por um grupo específico da sociedade, muitas vezes as propostas não vão de acordo com o pensamento comum, mas são apresentadas para agradar a um núcleo restrito. E esse pequeno coletivo, pelas regras eleitorais brasileiras, é capaz de fazer com que os políticos consigam o mais importante: a reeleição quase que por toda a vida.

No alvo

Então, quando uma proposta como a da cura gay entra em pauta, os parlamentares que a defendem não estão nem um pouco preocupados com a repercussão negativa que pode vir da maior parte dos brasileiros. Na realidade, os que elevam projetos desse tipo já têm voto certo justamente por pregar mudanças na legislação direcionadas a seus redutos eleitorais. É tempo de olhar para a sociedade e ver qual a fonte de todas essas ideias...

Ampliou

A Prefeitura de Campinas ampliou em 132% o volume de verbas de convênios com os governos federal e estadual em comparação ao mesmo período do ano passado. O secretário de Administração, Silvio Bernardin, não informou o valor, mas disse que o objetivo da Administração é alavancar os investimentos por meio de parcerias. Essa é a única saída da Prefeitura, uma vez que o caixa do Executivo não acumula quantias animadoras.

Encorpou

Um dos fatores que contribuíram com o repasse maior de verbas para Campinas foi o apoio do PSDB ao governo Jonas. De olho na reeleição, o governador Geraldo Alckmin (PSBD) recupera o tempo perdido na cidade.

Numa tacada só

Em sessão solene, a Câmara de Campinas entregará amanhã 14 medalhas Carlos Gomes para cinco personalidades e quatro instituições ligadas à música na cidade, entre elas a Orquestra Sinfônica. A distribuição das honrarias foi a forma que o Legislativo achou de participar das comemorações de 239 anos de Campinas. Enquanto o Executivo anuncia obras e melhorias, os vereadores homenageiam, e por aí vai...

Será que cola?

O agrado da Câmara de Campinas, especificamente em relação à orquestra, não deve aliviar a tensão entre os músicos e o Executivo. O que eles querem não é medalha, mas, sim, melhores condições de trabalho. Aliás, uma reivindicação bem antiga e que estava entre as promessas do prefeito Jonas Donizette (PSB).

De braços cruzados

Os músicos realizarão amanhã um concerto em homenagem à cidade. A agenda foi mantida em respeito ao público. Mas os integrantes da orquestra prometem cruzar os braços na próxima segunda-feira até serem atendidos pelo prefeito para que seja acertada uma solução definitiva em relação aos problemas de estrutura .

Agenda cheia

O final de semana vai ser de agenda cheia para os políticos de Campinas em razão das comemorações do aniversário da cidade. Teve gente que já se programou para não perder nenhuma oportunidade de aparecer na foto ao lado do prefeito.

Vai passar?

O deputado federal Guilherme Campos (PSD) apresentou um projeto de lei que garante aos proprietários de estabelecimentos comerciais o ressarcimento por danos ocorridos durante manifestações em todo o País. Pela proposta, caberá à União, em até 30 dias da ocorrência, a indenização pelo prejuízo. O parlamentar defende que a responsabilidade civil do Estado nos casos de atos de multidões não é uma inovação no ordenamento jurídico, já que alguns países oferecem legislação que garante o direito de indenização às vítimas de danos causados por esses atos. 

COLABOROU DELMA MEDEIROS/AAN

 

Escrito por:

Milene Moreto