Publicado 11 de Julho de 2013 - 9h33

Por Ricardo Fernandes

Manifestantes protestam na Miguel Melhado Campos (SP -324)

Dorinaldo Oliveira/ Correio Popular

Manifestantes protestam na Miguel Melhado Campos (SP -324)

Cerca de 400 pessoas fecharam trecho da Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324) - Vinhedo/ Viracopos - região do Campo Belo, nesta manhã de quinta-feira (11) em protesto. A rodovia foi fechada entre os kms 94 e 96 - nos dois sentidos - desde as 8h. Os manifestantes pretendiam uma passeata até o Jardim Nova América, mas foram impedidos pela Polícia Militar (PM). Por volta das 11h15, manifestantes queimaram pneus e começaram a atirar pedras contra a polícia. A Tropa de Choque da PM entrou em ação usando bombas de efeito moral - gás lacrimogênio. Um policial ficou ferido. A rodovia foi liberada as 12h10, após mais de quatro horas de bloqueio. Bombeiros apagaram o fogo e limparam a via.

Manifestantes reivindicam melhorias no bairro Campo Belo e protestam contra reintegração de área nos bairros Cidade Singer e Jardim Columbia, às margens da Rodovia Santos Dumont (SP-75), onde vivem cerca de 50 famílias - a área fica dentro do terreno que será usado para a expansão do Aeroporto Internacional de Viracopos.

Esse é o quarto ato na região somente neste mês. Na segunda-feira (1), três ônibus e dois micro-ônibus foram apedrejados. Na noite de terça-feira (2), em protesto na altura do km 89 da Rodovia Miguel Melhado Campos, os manifestantes apedrejaram um ônibus da empresa VB que fazia a linha 190. Na quinta-feira (4), o protesto foi mais violento - a Tropa de Choque da PM - com cerca de 100 homens - liberou a rodovia usando bombas de efeito moral - gás lacrimogênio. Parte dos manifestantes reagiu a ação policial disparando rojões e bombas, além de pedras.

Com informações da repórter Raquel Valli

Cerca de 400 pessoas fecharam trecho da Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324) - Vinhedo/ Viracopos A Tropa de Choque da PM e a Polícia Rodoviária também estão presentes de prontidão para eventuais conflitos

 

Escrito por:

Ricardo Fernandes