Publicado 10 de Julho de 2013 - 17h20

Trabalhadores da General Motors em assembleia em São José dos Campos

Divugação

Trabalhadores da General Motors em assembleia em São José dos Campos

A General Motors abriu nesta quarta-feira (10) Programa de Demissão Voluntária (PDV) na planta da empresa de São José dos Campos. O PDV permanecerá aberto até o dia 19 de julho. A empresa não informou a meta de adesão e também não divulgará balanço.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, o PDV é para todos os trabalhadores, mas um dos foco são os operários aposentados, que somam cerca de 900.

Segundo sindicato, para trabalhadores em geral: de 1 a 5 salários-base (conforme tempo de fábrica), mais 4 meses de seguro-saúde. Para aposentados: de 1 a 5 salários-base, mais 2 salários e mais 12 meses de seguro-saúde.

Já para trabalhadores em fase de pré-aposentadoria: de 1 a 5 salários, mais 1 salário para cada mês faltante para aposentadoria, limitado a oito salários, mais 12 meses de seguro saúde, mais 1 mês para cada mês faltante para a aposentadoria, limitado a oito meses, segundo o sindicato.

O PDV faz parte do pacote fechado entre a entidade e a montadora para o complexo industrial de São José dos Campos disputar investimento de R$ 2,5 bilhões que a empresa irá fazer para a produção de um novo modelo de carro.

Na semana passada, o presidente do sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá, avaliou que os benefícios oferecidos pela GM nesse novo PDV não são tão atrativos. “Os anteriores foram mais”, afirmou Macapá. A expectativa agora é pelo anúncio do local dos investimentos.