Publicado 14 de Julho de 2013 - 1h00

Por Daniela Nucci

Campinas tem 234 placas em inglês

Carlos Sousa Ramos/AAN

Campinas tem 234 placas em inglês

A Prefeitura de Campinas, por meio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), instalou em Campinas — de 2010 até abril do ano passado — 234 placas bilíngues (português e inglês) de orientação de tráfego. A adoção da língua estrangeira, de acordo com a Administração, tem como objetivo tornar mais rápido e fácil os deslocamentos, além de indicar para o motorista — seja ele turista ou não — onde ficam pontos de interesse como parques, praças, shoppings, museus, entre outros. As placas foram instaladas no Taquaral, Guanabara, Jardim Chapadão, Vila Nova, Castelo, Jardim. Garcia, Jardim do Trevo, Vila Industrial, Bosque, Cambuí, Jardim Proença, Sousas, Joaquim Egídio e na área central. 

Os recursos, na ordem de R$ 500 mil, foram disponibilizados pelo Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo (MTur). Seguindo normas internacionais, as placas têm fundo marrom, com informação em português na parte superior e em inglês na inferior. Segundo a Emdec, com o surgimento de novos pontos turísticos na cidade, outras sinalizações deverão ser instaladas.

Apesar da informação em inglês, alguns turistas encontraram dificuldade para se locomover pela cidade. É o caso do engenheiro francês Michael Bortoluzzi, que fez um intercâmbio por cinco meses na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “Andei pouco pela cidade porque tinha tudo perto. Fui algumas vezes de ônibus para o Centro para fazer documentos na Policia Federal. Sem a ajuda de amigos brasileiros, acho que seria bem mais difícil me locomover. Quando você está no ponto de parada não tem indicações, placas ou mapas para saber se está no lugar certo”, critica Bortoluzzi, que já retornou à França. Há quem elogie, como o inglês Alan Joseph Haywood, que mora há 17 anos na cidade. “Acho tudo muito bem sinalizado, principalmente na área central. “Gosto de andar mais a pé e sempre me virei bem para chegar nos lugares”, opina Haywood.

Copa das Confederações expôs despreparo do País

Uma pesquisa realizada com turistas estrangeiros durante a Copa das Confederações — que teve suas sedes no Recife (PE), Salvador (BA), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro — mostrou que a qualidade do transporte público, o preço da alimentação nos estádios e o atendimento no idioma estrangeiro estiveram entre os itens com pior avaliação. O levantamento divulgado pelo MTur utilizou dados colhidos em duas mil entrevistas realizadas em estádios com brasileiros e estrangeiros e 106 entrevistas em aeroportos apenas com estrangeiros.

Ainda de acordo com dados do MTur, a Copa das Confederações foi a principal responsável pelo aumento no número de estrangeiros que desembarvcaram no País no mês de junho. O tempo médio de permanência deles no Brasil foi de 14 dias. A estimativa é que o público total de turistas estrangeiros atraídos para o Brasil para acompanhar os jogos da Copa das Confederações tenha sido de 20 mil. 

Capital adota 3 idiomas para orientar turistas  

A partir do segundo semestre deste ano, turistas que visitarem a capital paulista poderão organizar seus trajetos a partir de novas placas de sinalização turísticas. A ideia é facilitar a vida do pedestre nos principais pontos da cidade. Para o projeto, a Prefeitura de São Paulo fechou parceria com o MTur, que vai liberar R$ 700 mil para o programa, que integra o pacote de investimentos para a Copa do Mundo de 2014.

As placas serão trilíngues (português, espanhol e inglês) e vão oferecer informações de 72 atrativos da região central da capital paulista, como a Catedral da Sé, Museu da Língua Portuguesa e Edifício Itália, além de ruas de comércio popular, como a 25 de Março, a Santa Ifigênia e a José Paulino.

As placas serão divididas em direcionais, interpretativas e externas. As direcionais serão fixadas em locais de distribuição de fluxos e indicarão o caminho para os pontos turísticos; as interpretativas de região serão implantadas em áreas de grande circulação de visitantes, como praças, e terão informações, em português e inglês, sobre as atrações turísticas do entorno, além de um mapa indicativo; e as placas externas dos monumentos ficarão nas fachadas das atrações, com um exclusivo QR Code, código que permite ao turista ter acesso - via aplicativo de celular - a curiosidades, imagens internas, site e outras informações sobre o local. O próximo passo, de acordo com a Administração, será estudar investimentos em obras de sinalização para o Estádio Itaquerão, um dos 12 estádios da Copa do Mundo no Brasil e palco da cerimônia e do jogo de abertura do mundial. 

Escrito por:

Daniela Nucci