Publicado 10 de Julho de 2013 - 14h19

Embora a procura pela mudança de emprego seja grande, muitos profissionais ainda pensam na parte financeira para ver se vale a pena

Divugação

Embora a procura pela mudança de emprego seja grande, muitos profissionais ainda pensam na parte financeira para ver se vale a pena

A possibilidade em mudar de emprego permanece alta entre os profissionais brasileiros. De acordo com o Guia Salarial 2013, elaborado pela consultoria Hays, em parceria com o Insper, mais de 76,7% dos profissionais que trabalham mostraram interesse em conquistar novas oportunidades - índice similar ao registrado no ano anterior.

A pesquisa entrevistou mais de 7,5 mil profissionais. Apesar de pensarem em mudar de emprego, o percentual de brasileiros que declararam falta de confiança na economia aumentou, passando de 12%, em 2012, para 28,8%, neste ano. Também houve queda no percentual de entrevistados que vislumbram boas oportunidades no mercado: de 56,4%, em 2012, para 43,9%.

Pacotes salariais e benefícios

Este ano, 76,6% dos candidatos empregados declararam que seu pacote salarial aumentou, um percentual alinhado aos 80,1% da pesquisa de 2012 e acima dos 61,1% do levantamento de 2011.

Embora um em cada cinco candidatos tenha foco na remuneração, a busca por melhores perspectivas de desenvolvimento pessoal e profissional (37,5%) e o equilíbrio entre vida pessoal e profissional (13,4%) somam mais da metade das respostas.

Ainda, 94,3% da amostra concordam que benefícios não salariais ajudam a manter um colaborador na empresa e 96,6% consideram esses benefícios importantes ao avaliar uma proposta de trabalho. Mais da metade (56,4%) recebe remuneração variável, majoritariamente calculada em cima dos resultados da empresa.

Estratégia de retenção das empresas

Alinhados aos interesses dos profissionais, os empregadores estão investindo, cada vez mais, em benefícios não salariais. A mesma pesquisa aponta que 90,6% dos empregadores passaram a investir em benefícios para seus funcionários. Ainda, 94,5% dos empregadores brasileiros consideram os benefícios não salariais uma ferramenta importante para o recrutamento e retenção de profissionais.

Fonte: InfoMoney