Publicado 12 de Julho de 2013 - 9h01

Por Delma Medeiros

Músicos durante ensaio, na quinta-feira (11): concerto em respeito ao público

Érica Dezonne/AAN

Músicos durante ensaio, na quinta-feira (11): concerto em respeito ao público

Músicos da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e o Gabinete do Prefeito decidiram manter o concerto previsto para domingo, aniversário de 239 anos de Campinas. Mas, na segunda-feira, eles voltam a cruzar os braços até serem atendidos pelo prefeito Jonas Donizette (PSB).

A decisão dos integrantes da orquestra foi tomada ontem, em assembleia. Na reunião, votaram duas opções: parar imediatamente o trabalho e suspender o concerto ou se apresentar domingo e cruzar os braços na segunda, até se reunirem com Jonas.

“O prefeito informou que nos recebe durante a próxima semana. Então, por respeito à população de Campinas, que merece assistir sua orquestra no aniversário da cidade, vamos nos apresentar”, afirmou Carlos Coradini, presidente da Comissão de Músicos da Sinfônica. Não penalizar a população também foi apontado pelo secretário de Cultura, Ney Carrasco, para a manter o concerto. “Em virtude de ser aniversário de Campinas e pelo respeito que esta população merece, os músicos e o Gabinete acharam por bem fazer uma trégua e retomar o diálogo na semana que vem. Aliás, o diálogo sempre existiu, nunca deixei de receber a orquestra”, disse Carrasco.

Na quarta-feira, os músicos se rebelaram contra o que consideram descaso da Administração com a orquestra, interromperam o ensaio e uma comissão seguiu para o Paço Municipal para tentar falar com o prefeito Jonas Donizette (PSB), que estava fora de Campinas. Eles haviam afirmado que não ensaiariam ontem antes de conversar com Jonas.

Para os músicos, a apresentação ficou condicionada à divulgação de um comunicado informando a população sobre os motivos da paralisação a partir de segunda-feira, explicando as demandas que querem ver respondidas, especialmente a falta de um lugar fixo de ensaio e as más condições de trabalho.

Sobre o Barracão de Lemos, que seria entregue amanhã (o evento foi cancelado), depois de uma reforma de 150 dias, para ser a nova “casa” de ensaios, os músicos afirmam que o local não serve. “O Barracão recebeu uma maquiagem, trocaram algumas telhas e fizeram uma pintura, mas o espaço não tem as condições acústicas mínimas para receber a orquestra”, afirmam, citando que seria necessário pelo menos um espaço nos moldes da Sala São Paulo.

A orquestra se apresenta domingo sob a regência do maestro titular Victor Hugo Toro, também acompanhando a dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó, que mostrará seus grandes sucessos e músicas no álbum mais recente, Se For Para Ser feliz.

O concerto conta ainda com a participação especial do pianista e maestro João Carlos Martins em algumas peças.

Escrito por:

Delma Medeiros