Publicado 14 de Julho de 2013 - 8h00

Por Adriana Ferezim

Hospital dos Fornecedores de Cana, em Piracicaba: polêmica

Divulgação

Hospital dos Fornecedores de Cana, em Piracicaba: polêmica

A Secretaria Municipal de Saúde informou, por meio de nota, nesta sexta-feira (12), que promoveu um ajuste no número de cirurgias bariátricas realizadas no Hospital dos Fornecedores de Cana (HFC), pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O médico que realiza essas cirurgias, Irineu Rasera, e o mantenedor do hospital, José Coral, são contrários à medida, que reduz para 20 esses procedimentos cirúrgicos mensais, quando atualmente são realizados 19 por semana.

O HFC é credenciado para realizar esse tipo de cirurgia pelo SUS e, conforme Rasera, há fila de espera e os pacientes aguardam em média, 18 meses pela cirurgia.

A decisão foi tomada pelo secretário de Saúde, Pedro Mello. Conforme a nota enviada à imprensa, a medida é temporária e transitória. “Tem como único objetivo desafogar o setor hospitalar na microrregião de Piracicaba em função do aumento na demanda por leitos hospitalares registrada nos últimos meses. A medida busca melhorar e ampliar o atendimento à população de Piracicaba e dos outros dez municípios da microrregião e que a medida tem como justificativa o fato de que aproximadamente 90% dos pacientes que são submetidos à cirurgia bariátrica no referido hospital têm origem em outras regiões e Estados”.

Entre junho de 2012 e maio deste ano, foram realizadas 141 cirurgias bariátricas de pacientes de Piracicaba, 175 da microrregião e 397 de outras regiões e até outros estados. Na nota, a secretaria ressaltou que “entende a necessidade de quem aguarda pela realização da cirurgia, mesmo que ela tenha caráter eletivo (não urgente), mas destaca que a prioridade da Pasta é a população de Piracicaba e da microrregião, garantindo um atendimento humanizado e o aporte de recursos hospitalares aos pacientes que mais precisam. Caso o hospital demonstre que a realização da cirurgia não interfere nas internações contratualizadas pelo município de Piracicaba, a medida poderá ser revogada”.

Leitos

O médico informou que as cirurgias bariátricas não ocupam os leitos do SUS que seriam destinados para emergência ou cirurgias eletivas de Piracicaba ou da região e que o procedimento também não onera o município. “A verba para as cirurgias bariátricas é repassada pelo governo federal exclusivamente para esse procedimento”, disse Irineu Rasera.

O mantenedor do HFC, José Coral, informou que os leitos para essas cirurgias são especiais e não fazem parte das vagas que o hospital destina ao SUS. “Lamento essa decisão do secretário Pedro Mello. ele está equivocado. Essa cirurgia requer cuidados especiais, por isso o leito, que é coletivo, fica em uma área específica só para esse tipo de procedimento e conta com camas especiais para receber as pessoas obesas”, esclareceu.

Segundo Coral, o hospital vai recorrer da medida, porque não é esse o problema da falta de vagas. “O município contratou um número de leitos que são insuficientes. Mesmo assim, atendemos mais que o contratado e o nosso déficit mensal com essa medida é de R$ 1 milhão e os leitos de UTI são mais críticos, porque nas cidades da região não têm, como Capivari e São Pedro, por exemplo. Atendemos Piracicaba e região”, disse.

Escrito por:

Adriana Ferezim