Publicado 11 de Julho de 2013 - 16h22

Médicos convocados pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), fazem uma manifestação no centro do Rio de Janeiro

Agência Brasil

Médicos convocados pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), fazem uma manifestação no centro do Rio de Janeiro

Cerca de 100 pessoas já estão reunidas na Candelária, ponto de concentração da passeata promovida pelas centrais sindicais, para marcar o Dia Nacional de Luta no Rio. Os manifestantes, em sua maioria, usam camisetas das centrais sindicais e portam bandeiras das entidades às quais são filiados, além de balões da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Os organizadores da manifestação, que deve começar às 17h, trouxeram cinco carros de som para usar durante a passeata que percorrerá toda a Avenida Rio Branco e terminará na Cinelândia. O sistema de som de um dos carros já foi ligado e iniciado com o canto do Hino Nacional, acompanhado pelos manifestantes.

A maior parte do público presente é formada por pessoas mais velhas, diferentemente do que se observava nas manifestações do mês passado, em que os participantes eram predominantemente jovens. Há estudantes também presentes à concentração, com camisas de escolas.

Por medida de segurança, todas as agências bancárias ao longo da Avenida Rio Branco e no cruzamento com a Avenida Presidente Vargas, no centro financeiro do Rio, estão cobertas por tapumes e fechadas para atendimento ao público.

Soldados do 5º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento na região central da cidade, já estão posicionados ao longo da Avenida Rio Branco.

O Centro de Operações da prefeitura do Rio informou que a Presidente Vargas está interditada, na altura da Candelária, em direção à zona norte, entre a Rua Primeiro de Março e a Avenida Rio Branco, por causa da chegada de pessoas para a manifestação convocada pelas centrais sindicais.