Publicado 10 de Julho de 2013 - 19h07

Por Agência Estado

A partir da meia-noite os petroleiros da Revap (Refinaria Henrique Lages) em São José dos Campos no interior de São Paulo serão impedidos de entrar na refinaria. São 1.200 funcionários e outros 3.000 trabalhadores terceirizados. A paralisação será de 24 horas.

De acordo com o Sindicato dos Petroleiros, nesta quarta-feira a partir das 23h já haverá movimentação para impedir a troca de turno dos petroleiros. A entidade é filiada a Frente Nacional dos Petroleiros (FNP).

O maior sindicato da região do Vale do Paraíba é o dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que tem 43 mil trabalhadores em sua base, agregando metalúrgicos da General Motors e da Embraer. Os sindicalistas da categoria ainda não divulgaram as ações previstas para esta quinta-feira, 11.

Segundo informações apuradas pela reportagem, haverá manifestações na Rodovia Presidente Dutra, principal rodovia do País que liga o Rio de Janeiro a São Paulo, no trecho de São José dos Campos durante todo o dia.

Já o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), deve atrasar a entrada de 10 mil trabalhadores das autopeças localizadas no distrito industrial. A base é formada por 23 mil metalúrgicos.

As montadoras Volkswagen, Ford, LG e Cameron não serão afetadas nesta paralisação de quinta-feira. Elas estão incluídas nas paralisações que o sindicato pretende fazer na próxima semana.

Na região do Vale do Paraíba estão planejadas ações conjuntas dos representantes dos metalúrgicos, petroleiros, químicos e transportes.

Escrito por:

Agência Estado