Publicado 09 de Julho de 2013 - 12h01

Por France Press

Edward Snowden está em um aeroporto de Moscou e aguarda asilo

France Press

Edward Snowden está em um aeroporto de Moscou e aguarda asilo

O ex-analista americano da inteligência Edward Snowden teria aceitado a oferta de asilo da Venezuela, segundo um legislador russo, que atribuiu nesta terça-feira a informação a uma rede de televisão, embora persistam dúvidas sobre a situação do consultor, confinado há duas semanas na zona de trânsito de um aeroporto em Moscou. "Como era esperado, Snowden aceitou a oferta de asilo do presidente (venezuelano Nicolás) Maduro", afirmou inicialmente na rede Twitter o legislador Alexei Pushkov, presidente do comitê de Relações Exteriores na câmara baixa do Parlamento russo.

"Aparentemente, esta opção pareceu ser a mais confiável para Snowden", acrescentou.

A mensagem de Pushkov esteve disponível no Twitter por meia hora, antes de ser removida pelo próprio legislador.

Mais tarde, Pushkov explicou também no Twitter que soube que Snowden teria aceitado a oferta venezuelana de asilo por uma informação da televisão estatal russa Vesti 24.

O legislador reformulou a mensagem original sobre a aceitação de Snowden, mas atribuiu a informação à rede de TV.

Simultaneamente, o porta-voz da Presidência russa, Mitry Peskov, evitou fazer qualquer comentário, e pediu que as perguntas sejam feitas ao legislador.

"Façam a ele todas as perguntas", limitou-se a comentar Peskov.

A rede Vesti 24 havia informado em seu site que a "Venezuela finalmente recebeu uma resposta do ex-agente da CIA", acrescentando que na segunda-feira Maduro teria realizado um contato telefônico com Snowden, mas não explicou as fontes destas informações.

O governo da Venezuela ofereceu na semana passada asilo a Snowden, em um gesto que foi seguido pelas autoridades de Bolívia e Nicarágua.

Snowden, que ficou no centro de um escândalo internacional ao revelar a extensão da espionagem eletrônica e telefônica americana, havia enviado cartas pedindo asilo a cerca de vinte países, incluindo a Venezuela.

Maduro chegou a afirmar à imprensa em Caracas que havia "recebido a carta com o pedido de asilo" de Snowden, e acrescentou que o ex-analista americano "deve decidir quando viajará, se finalmente desejar vir" à Venezuela.

Snowden não pode sair da zona de trânsito do aeroporto de Sheremetievo, já que seu passaporte americano foi revogado pelas autoridades de seu país, e não possui documentos que lhe permitam viajar.

Não existem voos diretos entre Moscou e Caracas, e a via mais curta entre as duas capitais inclui uma escala em Havana.

Irina Danenberg, porta-voz da companhia aérea russa Aeroflot, disse não saber se Snowden estava no voo de Moscou a Havana que decolou na manhã desta terça-feira. "Não tenho ideia", disse.

Escrito por:

France Press