Publicado 14 de Julho de 2013 - 20h29

Enterro foi no domingo à tarde, no Cemitério Parque das Flores, no Jardim Satélite Íris

Elcio Alves/AAN

Enterro foi no domingo à tarde, no Cemitério Parque das Flores, no Jardim Satélite Íris

Foi enterrado neste domingo (14) o piloto de 48 anos que morreu após a queda de uma asa-delta motorizada (conhecida como Trike) no bairro Betel, em Paulínia. O acidente aconteceu na tarde de sábado em uma área rural. Outro homem, de aproximadamente 50 anos, que também estava no equipamento, foi transferido do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para uma unidade hospitalar em Jundiaí. A família não autorizou informações sobre seu estado de saúde nem o nome. Enquanto internado em Campinas, sua situação era grave, mas estabilizada.

João Luis Faustino, foi sepultado às 16h30, no Cemitério Parque das Flores, no Jardim Satélite Íris. Ele era cabeleireiro conhecido na cidade e mantinha um salão na Rua Conceição, no Cambuí. Deixou uma filha.

Em sua página no Facebook, há fotos do cabeleireiro em um equipamento de vôo parecido com o aparelho em que sofreu o acidente. Na conta virtual de sua filha, ela também aparece praticando esse tipo de atividade.

O acidente

Segundo informações da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros de Paulínia, a suspeita é de que o acidente tenha acontecido no momento de aterrissagem. A aeronave também teria se enroscado em um fio de eletricidade de um poste instalado na área. A assessoria de imprensa da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) informou que houve interrupção de energia para quatro clientes da área próxima do acidente por três horas.

Apesar de grandes pastos e terrenos naquela região propícios para pousos, o local não possui pistas regularizadas para vôos. No local do acidente, o comandante do Corpo de Bombeiros, José Almir da Silva, afirmou que, por haver fios de alta tensão espalhados em toda a área, ela pode ser considerada “perigosíssima”. “A região será analisada, mas sabemos que não é propícia para esse tipo de atividade”, disse, no sábado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por volta das 14h45 de sábado, em uma estrada de terra paralela à Avenida Constante Pavan, no bairro Betel. As vítimas foram socorridas por uma equipe do resgate e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Municipal de Paulínia, mas transferidas na sequência. Faustino foi levado para o HC da Unicamp, mas não resistiu aos ferimentos.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e Polícia Civil já foram acionadas para realizar uma inspeção no local e avaliar as causas do acidente. O Instituto de Criminalística de Campinas fez a períciada área do acidente e a previsão é que o laudo seja divulgado em 30 dias.

Um homem que utiliza esse tipo de aparelho, que pediu para não ser identificado, disse que essa prática é comum na região, mesmo sem aval dos órgãos competentes. Segundo ele, há muita concorrência em pistas regularizadas, como no Campo dos Amarais, por exemplo.

O uso de Trikes naquela região também é criticado por praticantes de aeromodelismo, que possui uma pista nas proximidades. O engenheiro e aeromodelista Alex Borro, de 32 anos, afirma que os usuários desse tipo de asa-delta atrapalham seus vôos que precisam de uma pista autorizada.

Outros acidentes

No começo do mês de junho, outros dois ocupantes de asa-delta motorizada morreram após o aparelho sofrer pane e cair na Praía das Ruínas, em Peruíbe, no Litoral. Segundo testemunhas, a aeronave começou a rodopiar no ar e um dos ocupantes foi arremessado para fora. O aparelho encontrava-se a uma altura de 30 metros do solo e ficou totalmente destruída. Os dois voltavam de Itanhaém.

O piloto era considerado experiente no uso da asa-delta motorizada, mas o equipamento não era homologado pela Anac.

Veja também