Publicado 10 de Julho de 2013 - 5h00

Blazer que era dirigida por Jefferson Monteiro Giaculi, assassinado próximo à loja de conveniência de posto de combustível em avenida

Jaqueline Harumi/AAN

Blazer que era dirigida por Jefferson Monteiro Giaculi, assassinado próximo à loja de conveniência de posto de combustível em avenida

Jefferson Monteiro Giaculi, de 37 anos, morreu com três tiros na cabeça por volta das 23h45 de segunda-feira (8) em um posto de combustível da Avenida Barão de Itapura, no bairro Botafogo, em Campinas. Segundo o repositor V.H.F.P., de 24 anos, que chegou com a vítima no local cinco minutos antes do crime, dois homens chegaram em uma moto Honda Twister prata e o garupa, armado, desceu e atirou aparentemente com um revólver calibre 38. A dupla fugiu sem levar nada.

A Polícia Militar foi chamada, mas quando chegou ao local a vítima já estava sem vida. O posto foi interditado na área próxima à loja de conveniência onde aconteceu o assassinato para perícia. Foram apreendidos dois projéteis, além do carro, três celulares e R$ 46,00 de Giaculi.

Segundo o frentista e o amigo da vítima, que foram obrigados a ficar de costas, Giaculi teria tentado conversar para não ser morto. De acordo com a conversa entre o atirador e a vítima, o motivo seria um desentendimento relacionado ao tráfico de drogas.

O criminoso foi descrito como pardo, com 1,75 metro de altura, magro, olhos pretos, cabelo preto curto, com cavanhaque e vestindo calça jeans e moleton.

A ocorrência foi registrada pelo 1 Distrito Policial para investigação da Polícia Civil, que afirma ter solicitado imagens do estabelecimento ao gerente para esclarecimento do crime.